“Um cara que gosta de curtir a vida”, diz colega de advogado desaparecido

Carlos Eduardo Marano Rocha navegava com amigos no Lago Paranoá no sábado (1º/8), quando caiu da embarcação e não foi mais visto

atualizado 03/08/2020 17:04

Carlos Eduardo MaranoReprodução

O advogado Carlos Eduardo Marano Rocha, de 41 anos, continua desaparecido após cair de embarcação enquanto navegava no Lago Paranoá, no último sábado (1º/8). O Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) realiza buscas no reservatório desde domingo (2/8), mas até então não localizou vestígios do homem.

Em entrevista ao Metrópoles, um ex-colega de trabalho, que preferiu não se identificar, afirma que “Dudu”, como é chamado, é um profissional exemplar.

“Trabalhamos juntos no [escritório de advocacia] Leite, Tosto e Barros. Ele era o chefe da equipe [que cuidava do contrato] do HSBC”, revela o ex-colega, que trabalhou com Carlos Eduardo de 2010 a 2012. “Fazia tudo que tinha que fazer, é muito competente, tanto que há uma ano ou pouco mais ele se tornou sócio de lá”, completa.

O colega também relembra do lado festeiro do advogado. “Um cara que gosta de curtir a vida, está sempre nas melhores festas, nas melhores situações”, conta o parceiro de profissão.

0

 

Por fim, ele ressalta o lado humano do ex-chefe. “Mesmo depois que eu saí do Leite, Tosto e Barros, sempre que a gente se encontrava, fosse em festa ou nos tribunais, era um cara que falava ‘E aí? Como que tá? A gente trocava ideia, perguntava da vida e tudo mais”, relembra. “O cara é bom, uma pessoa boa pra c******! Muito boa…”, finaliza.

Buscas continuam

Os bombeiros chegaram a utilizar um sonar de varredura lateral na tentativa de localizar Carlos Eduardo. Contudo, afirmam que a falta de informações precisas sobre a hora e o local da queda do advogado da embarcação dificultam a operação e torna inviável que a varredura seja efetuada por militares no fundo do lago.

O grande fluxo de embarcações e a consequente agitação da água prejudicam o uso do sonar. As buscas prosseguem.

Últimas notícias