metropoles.com

Três suspeitos de atentado a bomba no Aeroporto de Brasília viram réus

Juiz da 8ª Vara Criminal de Brasília aceitou denúncia contra George Washignton, Alan Diego dos Santos e Wellington Macedo

atualizado

Compartilhar notícia

Imagem cedida ao Metrópoles
George Washington, homem preso com arsenal que pretendia fazer atentado na posse de Lula - Metrópoles
1 de 1 George Washington, homem preso com arsenal que pretendia fazer atentado na posse de Lula - Metrópoles - Foto: Imagem cedida ao Metrópoles

Três suspeitos de participarem da tentativa de atentado com bomba perto do Aeroporto de Brasília, em 24 de dezembro, viraram réus na Justiça. O juiz Osvaldo Tovani, da 8ª Vara Criminal de Brasília, aceitou denúncia contra o empresário bolsonarista George Washignton de Oliveira Sousa (foto em destaque), 54 anos, o possível comparsa dele Alan Diego dos Santos Rodrigues, 32, e contra o blogueiro e jornalista Wellington Macedo de Souza, na ação que visava provocar caos no país.

Na véspera do Natal, equipes da Polícia Militar (PMDF) e do Corpo de Bombeiros (CBMDF), com apoio da Polícia Federal (PF) e da Polícia Civil (PCDF), se mobilizaram em área próxima ao Aeroporto de Brasília para desarmar uma bomba com potencial de provocar sérios danos à região ou “uma tragédia”, como definiu o diretor-geral da Polícia Civil do DF, Robson Cândido, à época.

A bomba estava acoplada a um caminhão-tanque e só não foi acionada por um erro técnico. A polícia identificou e prendeu o suspeito de tentar explodir o artefato no mesmo dia. O empresário que planejava atentado em Brasília foi identificado como George Washington Oliveira Sousa e tem 54 anos. Logo em seguida, os outros dois nomes foram apontados.

O trio responderá na Justiça pelo crime de explosão, quando se expõe “a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, mediante explosão, arremesso ou simples colocação de engenho de dinamite ou de substância de efeitos análogos”. A pena é de três a seis anos de reclusão, além de multa.

George Washington também foi denunciado por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. O indiciamento pelos crimes de terrorismo e de associação criminosa serão analisados pela Justiça Federal.

Veja decisão:

Decisão TJDFT

Ataques

Alan Diego dos Santos foi mencionado no depoimento de George Washington de Oliveira Sousa à Polícia Civil do Distrito Federal. George Washington disse que Alan se ofereceu para instalar outro explosivo, cujo objetivo era interromper a transmissão de energia elétrica em parte da cidade. Os dois se conheceram no acampamento montado por bolsonaristas nos arredores do QG do Exército.

George foi o responsável por fabricar o explosivo. Segundo ele, Alan “se voluntariou para instalar a bomba nos postes que transmissão de energia que ficam próximos à subestação de Taguatinga”. “Insisti que ele instalasse em um poste de energia para interromper o fornecimento de eletricidade”, disse no depoimento.

Já Wellington teria montado o artefato junto aos outros dois comparsas e colocado a bomba no caminhão-tanque. Ele participou de diversos protestos em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília. Autointitulado “Preso do Xandão” — em referência ao ministro do STF —, o blogueiro divulgava informações sobre manifestações bolsonaristas e aproveitava para pedir doações.

O jornalista foi preso em 9 de setembro de 2021. Antes, havia sido alvo de mandados de busca e apreensão, no âmbito do inquérito que apurou manifestações bolsonaristas em 7 de Setembro.

Wellington deixou a cadeia em 15 de outubro do mesmo ano, após os advogados alegarem que ele tinha emagrecido 18 quilos e que estava “profundamente deprimido”. O acusado conseguiu o direito de permanecer em prisão domiciliar. Em 24 de dezembro participou a tentativa de ataque.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?

Notificações