O universitário Dário da Silva, de 30 anos, está há seis meses desempregado. Após enviar currículos para diversas empresas, sem resultado, resolveu tentar um método mais criativo: confeccionou uma faixa com suas qualificações e a levou para a rua.

Graduando em análise e desenvolvimento de sistemas, Dário possui curso técnico em informática e tem experiência como programador web e supervisor de tecnologia da informação (TI). Seu último trabalho foi em uma empresa de engenharia.

Esta quinta-feira (10/1) é o terceiro dia em que o estudante ostenta a faixa ao lado do Brasília Shopping. Morador de Águas Lindas (Goiás), ele faz o trajeto de ônibus até o local, que dura cerca de uma hora. Nesses dias, ele só retornou para casa depois das 17h.

A partir do mês que vem, já não recebo o seguro-desemprego. Minha esposa também está sem trabalhar e as contas estão muito apertadas. Então, realmente preciso de emprego"
Dário da Silva, universitário

O rapaz relata que a ideia começou a surtir efeito. Nas redes sociais, ele recebeu o suporte de muitas pessoas com a divulgação. “Enquanto não der certo, vou ficar aqui com a faixa”, garante.

Desemprego
De acordo com o último boletim divulgado pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), a taxa de desemprego total no DF passou de 18,4%, em outubro de 2018, para 18,5%, em novembro do mesmo ano. Segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), o contingente de desempregados na capital da República foi estimado em 310 mil pessoas.

Na análise por regiões administrativas, de acordo com a pesquisa, a menor taxa de desemprego é encontrada no grupo de quem tem renda média/alta. Em outubro, essa categoria acumulava 17% de desemprego. Agora, a taxa é de 16,3%.

O grupo engloba Águas Claras, Candangolândia, Cruzeiro, Gama, Guará, Núcleo Bandeirante, Sobradinho, Sobradinho II, Taguatinga e Vicente Pires.

Já a maior taxa de desemprego está no grupo de regiões que possuem menor renda: Fercal, Itapoã, Paranoá, Recanto das Emas, Estrutural e Varjão.

O estudo ainda aponta o perfil dos afetados pelo desemprego no Distrito Federal. Entre os desempregados, a maior parte é de mulheres, 55%. Quando considerada a idade, os jovens de 16 a 24 anos representam 43%. No atributo pessoal de cor, 74,3% são negros.