*
 

Foram registrados quatro assassinatos no Distrito Federal na última sexta-feira (22/6). Dois homicídios foram cometidos com arma de fogo e outros dois com faca. Os casos ocorreram em diferentes regiões administrativas. Os dados são do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF).

De acordo com a entidade, o primeiro crime ocorreu às 6h30. Um homem foi atingido por facada e morreu nas proximidades da Avenida da Misericórdia, no acesso da Colônia Agrícola Samambaia, em Vicente Pires. Sete horas depois, outra vítima recebeu um disparo de arma de fogo na Estrutural.

Às 15h30, um homem foi baleado na QR 512, em Samambaia. O último assassinato ocorreu por volta das 21h. Uma facada no pescoço cessou a vida de um morador de Santa Maria, na casa onde ele morava, na QR 419.

Nenhum suspeito foi preso até o momento, segundo o Sinpol-DF. A entidade dispara que as delegacias sofrem com o sucateamento da Polícia Civil. A 38ª Delegacia de Polícia, em Vicente Pires; a 8ª DP, no SIA, que atende a Estrutural; e a 32ª DP, responsável pela área de Samambaia Sul, ficam fechadas nos finais de semana e à noite.

“Além disso, elas contam com apenas dois ou três agentes, sem delegado e sem escrivão de policia. Isso dificulta o início das investigações sobre a autoria do crime de forma imediata”, disse, em nota. De acordo com Sinpol-DF, em Santa Maria a unidade está com número insuficiente de profissionais.

“Em 2017, apenas 42% dos inquéritos de homicídio foram finalizados. Esse número já chegou a 81% há poucos anos”, revelou a instituição. “A falta de investimentos na Polícia Civil atrasa as investigações. Com isso os autores não são identificados e aumenta a impunidade e a reincidência. É necessário que a segurança pública e a polícia de investigação sejam prioridades”, concluiu.