Preso homem suspeito de ter furtado equipamentos de estudantes da UnB

Crime ocorreu em julho deste ano. Ele tem 37 passagens pela polícia

Vídeo/ReproduçãoVídeo/Reprodução

atualizado 14/08/2019 13:52

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) prendeu, na noite dessa terça-feira (13/08/2019), o homem apontado como o autor do furto de equipamentos e pertences pessoais da Empresa Júnior de Administração (AD&M) da Universidade de Brasília (UnB). O crime ocorreu em julho deste ano e, na oportunidade, o suspeito teria levado bolsas, dinheiro e cinco notebooks da empresa. Antes de deixar o local, ele fez questão de se admirar no espelho.

O ladrão é velho conhecido da Polícia Civil do DF (PCDF). De acordo com a corporação, ele coleciona passagens: tem 29 furtos na capital e em Goiás, além de duas receptações, cinco ocorrências por porte ilegal e drogas e uma por tráfico.

Desta vez, o homem foi detido carregando seis cigarros de maconha, uma porção da droga embalada em plástico, dois celulares e R$ 200 em cédulas, conforme informado pela PM.

Furto na UnB

Em julho deste ano, o mesmo homem foi flagrado por câmeras de segurança da AD&M furtando os equipamentos dos alunos da UnB. Ao Metrópoles, a diretora de conhecimento e inovação da empresa Carolina Schepper, disse que a presença do suspeito não gerou desconfiança, pois a empresa está acostumada a receber calouros aprovados no processo seletivo para integrar o corpo de estudantes. “Ninguém o conhecia. Todo semestre entram, pelo menos, 30 pessoas novas e nem sempre todo mundo sabe de quem se trata. A consultora, que estava lá, achou que era um dos trainees“, relatou.

Durante a ação criminosa, o bandido teria demonstrado conhecimento do espaço. “Ele chegou e já foi direto para o estoque, já conhecia o local. Ficou 10 minutos nos fundos revirando as mochilas e depois saiu”.

Nas imagens (veja abaixo), é possível observá-lo revirando objetos. Ele pega um casaco cinza e o coloca dentro da mochila. Logo depois, abre carteiras, pega o dinheiro, furta um creme e, por fim, abre o armário onde estavam os computadores.

Carolina explica que a Empresa Júnior não possui fins lucrativos e defende a importância dos equipamentos furtados para a atividade. “Todo faturamento que nós temos é revertido nos membros. Nem todo mundo tem condições de ter um notebook, então, nós nos prontificamos a comprá-los e alugá-los”, explicou.

Em nota divulgada na época, a UnB confirmou o ocorrido e disse que ainda não havia sido acionada pela PCDF para fornecer as imagens do flagrante. A instituição lamentou o episódio e esclareceu que tem tomado “uma série de medidas para a melhoria da segurança nos campi”.