PCDF vai ouvir funcionários de igreja que teve o sacrário furtado

O crime ocorreu no domingo de Páscoa na Paróquia Nossa Senhora da Saúde. A peça é avaliada em R$ 20 mil

atualizado 23/04/2019 12:57

Éric Zambon/Metrópoles

Funcionários da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte, prestarão depoimento na 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) ainda nesta terça-feira (23/04/2019). O sacrário da igreja foi roubado em pleno domingo de Páscoa (21/04/2019). Segundo o pároco Kazimerz Wojno, conhecido pela comunidade como padre Casemiro, a peça foi doada há 20 anos e tem valor estimado em R$ 20 mil.

O delegado responsável pelo caso, Laércio Rossetto, explicou que não foram registradas imagens do crime. Ele disse que aguarda o laudo da perícia feita no local. “Tudo é possível, mas não farei especulações, pois prefiro trabalhar primeiramente com a perícia, e vamos ouvir os funcionários”, destacou.

Os investigadores querem saber se há comparsas e se o furto foi premeditado. Um dos trabalhadores do local afirmou à reportagem que as portas estavam fechadas e especulou que o autor tenha tido acesso a uma chave, pois uma das entradas laterais da igreja amanheceu destrancada. “O que mais chateia a gente é o sentimento, por que foi um presente para nós”, lamentou o sacerdote.

No entanto, mais do que o valor financeiro, padre Casemiro destacou a importância do conteúdo do tabernáculo. No interior, havia uma âmbula com cerca de 70 hóstias consagradas, que são o corpo de Jesus Cristo aos católicos. Ele destacou que a igreja foi fechada por volta das 14h, após a missa das 11h.

Segundo o clérigo, apesar do alto valor da peça, o verdadeiro motivo do crime pode não ter sido o possível ganho comercial. “Tem o sentido de profanação. Existem pessoas que fazem essas coisas”, lamentou o pároco. Para ele, ainda pesa o fato de o furto ter acontecido no domingo de Páscoa, a maior festividade da igreja católica, que marca a ressurreição de Jesus.

Durante a celebração das 18h de segunda (22/04/2019), padre Casemiro, que tem origem polonesa, pediu doações para a igreja adquirir outro sacrário. “Este foi comprado na Itália, em uma loja especializada no Vaticano. Precisamos de outro. Cristo merece”, apelou aos fiéis. Ele contou ao Metrópoles ter buscado o tabernáculo pessoalmente e o instalado na paróquia.

0

Caixas de som roubadas
Não foi a primeira vez que a igreja foi alvo de criminosos. No fim do ano passado, as caixas de som foram roubadas e o padre ordenou, então, que fossem colocadas em um ponto mais alto, próximo aos vitrais.

O sacrário pesava de 50 a 70 quilos. Por isso, o presbítero acredita que pelo menos duas pessoas devam ter entrado para carregá-lo. Padre Casemiro pede orações de desagravo para resgatar o item levado e perdoar os ladrões.

Últimas notícias