*
 

Câmeras de segurança registraram um furto que ocorreu na tarde desse domingo (8/4) na Paróquia Nossa Senhora do Santo Cinto, no Riacho Fundo I. A vítima foi o pároco da própria igreja. Durante a missa, o suspeito entrou na sacristia e levou o celular do religioso, que estava carregando. Em um ano e meio, o templo foi alvo de bandidos por 16 vezes.

A cerimônia dominical, geralmente realizada no período da noite, foi realizada durante a tarde no dia do furto. A comunidade fez uma galinhada a fim de arrecadar fundos para a paróquia. Cerca de 300 pessoas participaram da celebração.

“Esse rapaz estava na missa. Ouviu a minha homilia. Depois, entrou com uma sacola na sacristia. Foi direto no celular. Ainda passou no banheiro e saiu”, lembra o padre Flávio Moreira. O religioso ainda não terminou de pagar o aparelho. “Faltam três parcelas”, ressaltou. O telefone é avaliado em R$ 4 mil.

Confira o momento em que o celular é levado da sacristia:

De acordo com Moreira, ele não guarda rancor do suspeito, mas demonstra preocupação. “O homem estava com uma sacola de supermercado. Tinha um iogurte dentro. Imagino que tenha família, filhos. É uma pessoa que precisa de orientação. Se vier aqui, tem o perdão do padre”, destacou o pároco.

Onda de furtos
Segundo o padre, no intervalo de um ano e meio, 16 casos foram registrados. O penúltimo ocorreu em dezembro, quando um grupo levou mais de 40 cestas básicas, remédios e aparelhos eletrônicos da capela.

Depois do crime, a comunidade de mobilizou para reforçar a segurança no local. Foram instaladas câmeras de segurança e portas mais resistentes. “Uma vez, eles pararam uma carroça aqui e levaram vários alimentos que seriam doados para famílias carentes”, disse o líder religioso.

O pároco também explicou que o Conselho de Segurança da região administrativa já cobrou providências das autoridades. Ele reconhece que as rondas da Polícia Militar melhoraram na região neste ano.

 

 

COMENTE

Igrejafurtocelularriacho fundopadre
comunicar erro à redação

Leia mais: Segurança