*
 

Um jovem, de 19 anos, foi assassinado na madrugada desta sexta-feira (2/11) no campus da Universidade de Brasília (UnB), na Asa Norte. A vítima teria sido morta com pelo menos quatro tiros, inclusive no rosto, após uma festa realizada no estacionamento da Faculdade de Direito. A princípio, os investigadores da Polícia Civil descartam se tratar de um aluno da instituição.

A Polícia Militar informou que recebeu um chamado para atender uma ocorrência envolvendo uma vítima de suposto espancamento. Quando chegou ao local, a equipe constatou que se tratava de homicídio. A vítima foi identificada como Renan Rafael da Silva Barbosa.

Testemunhas informaram aos militares que três indivíduos abordaram a vítima. Um deles efetuou cerca de três disparos. A vítima caiu e, em seguida, o suspeito deu mais um tiro no rosto do rapaz. Segundo os relatos, os comparsas do atirador teriam esvaziados os bolsos do homem e levaram algo.

“Cabe ressaltar que a festa no campus ocorria sem o conhecimento da PMDF. A equipe policial aguardou no local do crime até a chegada da PCDF para as providências cabíveis”, informou a polícia. Uma viatura do Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) atendeu a ocorrência às 3h15.

Festa divulgada no Facebook comemorava o fim da semana acadêmica

 

De acordo com a UnB, a festa na Faculdade de Direito foi autorizada e ocorreu por conta do encerramento da XXII Semana Jurídica. No entanto, o evento teria sido encerrado, nas dependências físicas da instituição, à meia-noite, mas algumas pessoas continuaram no estacionamento, sem que houvesse autorização para isso.

A universidade afirmou que está acompanhando as investigações e fornecendo material das câmeras de segurança. De acordo com a instituição, foram instalados 350 equipamentos de monitoramento nos quatro campi e mudado o esquema de ronda a fim de aumentar a segurança na universidade. “Há, entretanto, desafios adicionais, uma vez que o campus Darcy Ribeiro é aberto, integrado à Asa Norte.”

Renan Rafael da Silva Barbosa

Celulares roubados
Na madrugada, a PM prendeu um homem e apreendeu seis adolescentes suspeitos de roubar um carro e furtar quatro celulares na mesma festa. A prisão ocorreu após os suspeitos abandonarem o veículo.

Os jovens foram encaminhados à Delegacia da Criança de do Adolescente (DCA) enquanto o homem foi levado para a 5ª Delegacia de Polícia (área central). O grupo foi autuado pelo ato infracional análogo a roubo de celular e veículo. O homem preso também foi autuado por corrupção de menores.

Outro crime
Em 23 de junho, o corpo de universitário Jiwago Henrique de Jesus Miranda, 33, foi encontrado próximo a casas e apartamentos onde moram alunos e professores da UnB. Preso dois meses depois pelo assassinato, Mateus Rosa dos Santos, 19 anos, disse que matou a vítima com golpes de telha e concreto, perto da Colina, na Asa Norte, devido a uma dívida de R$ 300 referente à venda de drogas.

Horas antes do crime, uma das câmeras do campus filmou o estudante de filosofia ainda com vida. Na semana anterior, ele havia aparecido na universidade com um olho roxo e disse a professores e colegas ter se envolvido em uma briga, mas sem dar detalhes do atrito.

O acusado disse que, após levar Jiwago para o matagal, deu quatro golpes na cabeça do estudante. A vítima tentou escapar, mas Mateus e um adolescente puxaram o universitário pelas pernas e bateram nele com um pedaço de concreto.

Matriculado no curso de filosofia, Jiwago era membro da comunidade acadêmica havia nove anos, mas vivia em situação de rua há, pelo menos, dois anos. Durante o dia, frequentava as aulas. À noite, dormia em cantos escondidos da universidade. O rapaz despertava atenção dos colegas por ser gentil e educado. Mas, nos últimos meses, não parecia bem e se mostrava hostil com quem se aproximava.