*
 

Nesta terça-feira (6/2), servidores da carreira socioeducativa no DF se reúnem em assembleia geral com indicativo de greve. Na pauta, estão o cumprimento do acordo de greve de 2015, a reestruturação da carreira e o pagamento da terceira parcela do reajuste salarial, além de compra de mobiliário para as unidades socioeducativas, radiotransmissores e veículos.

O encontro será às 15h, em frente à Secretaria de Estado de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, no Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (Saan).

Em 2015, a categoria cruzou os braços durante nove dias. A paralisação foi considerada “ilegal e abusiva” pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

O trabalho nas unidades socioeducativas foi retomado após reunião com o governador Rodrigo Rollemberg (PSB). A proposta do Executivo incluiu o abono de faltas dos dias de greve, a instalação dos postos policiais nas localidades de Santa Maria e São Sebastião, identidade funcional, realização do pagamento de horas extras e adicional de insalubridade e aquisição de veículos novos.

Em 2017, foram registradas fugas de adolescentes em conflito com a lei e incidentes violentos nas sete unidades de internação. Os agentes denunciam os riscos de rebelião e reclamam das condições de trabalho.