Sem autorização da SES, médica anuncia suspensão de cirurgias no HRC

Cartaz afixado na porta do centro cirúrgico informava ao Samu e ao Corpo de Bombeiros que unidade não receberia pacientes graves

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 12/08/2019 19:02

Uma médica do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) pregou um cartaz, na porta do centro cirúrgico da unidade, informando que a admissão de novos pacientes em estado grave está suspensa. O setor administrativo do HRC também informou a restrição aos serviços de emergência do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Segundo a Secretaria de Saúde (SES), o aviso foi afixado sem autorização. A pasta, no entanto, reconhece que o hospital atende mais pacientes do que suporta. “O HRC está operando acima da capacidade. Porém, não existe indicativo para restrição do atendimento a casos graves”, informou o órgão, em nota.

A secretaria informou que o cartaz foi retirado e a conduta da servidora que redigiu, carimbou e assinou o cartaz será investigada. Ela poderá responder a processo administrativo.

Reprodução

De acordo com a SES, quando necessário, o paciente pode ser removido para unidade de referência hospitalar em ambulância adequada, com acompanhamento de equipe médica especializada.

O responsável pela central de regulação do Samu confirmou à reportagem que o HRC relatou o cenário de restrição quanto a pacientes graves. A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros alegou, por telefone, que não poderia responder à demanda nesta segunda-feira (12/08/2019).

Últimas notícias