Fornecedor atrasa entrega e cirurgias renais no Base são adiadas

Pacientes com indicação de intervenção cirúrgica para retirada de pedras nos rins aguardam pelo procedimento há 10 dias

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 10/05/2019 22:53

Pacientes com cálculos renais estão há 10 dias aguardando cirurgia, no Hospital de Base, para a retirada das pedras nos rins. O fornecedor dos materiais necessários ao procedimento não realizou a entrega no prazo, conforme informou a Secretaria de Saúde (SES). Por isso, as operações foram adiadas.

Segundo a pasta, a farmácia do hospital recebeu 25 unidades de cabos de fibra laser e 20 pinças do tipo basket, indispensáveis para a ureterolitotripsia, nome técnico do procedimento. Com isso, a SES espera zerar a fila de pacientes, que conta com 17 pessoas.

O Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (Iges-DF) adquiriu uma nova remessa do material com outro fornecedor. “Para normalizar o fluxo desse tipo de cirurgia, foi solicitado, de imediato, que parte do material fosse entregue ainda nesta sexta-feira (10/05/2019)”, informou, por meio de nota.

O marido de Ana Paula Lacerda, 36 anos, está internado desde o dia 7 de maio, à espera da intervenção cirúrgica. Fortes dores levaram Anacurí Bezerra Tristão ao pronto-socorro da unidade naquela data. Após a realização de exames, médicos determinaram a internação e encaminhamento para a ureterolitotripsia.

“Tem gente aqui desde o dia 30 [de abril]. Aqui não era para estar faltando nada, porque eles terceirizaram com a desculpa que o instituto consegue comprar os materiais com mais agilidade, e isso não está acontecendo”, critica Ana Paula.

“Os pacientes internados que aguardam pelo procedimento estão recebendo toda a assistência médica necessária. Para operar, são feitos exames preliminares e acompanhamento do quadro clínico, para em seguida encaminhar para cirurgia”, disse a SES.

Segundo a secretaria, o consumo diário de insumos está crescendo devido à sobrecarga no hospital.

Últimas notícias