DF: primeiro dia de vacinação contra gripe tem filas de idosos

Vacinação não defende do novo coronavírus, mas ajuda os mais vulneráveis de outras doenças. Confira em que dia você pode ir para os postos

atualizado 23/03/2020 13:15

Vacinação contra gripe posto 612 SulRafaela Felicciano/Metrópoles

Os postos de vacinação do Distrito Federal registram grande movimentação de idosos no primeiro dia de Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, na manhã desta segunda-feira (23/03). A mobilização foi antecipada para prevenir, em período de pandemia do novo coronavírus, os mais vulneráveis de outras doenças com sintomas gripais.

Desde as primeiras horas do dia, os idosos do grupo de risco (pessoas com mais de 60 anos e profissionais de saúde), formaram filas em diversos endereços da capital da República a fim de se imunizarem contra a gripe.

Confira as imagens abaixo:

0

Importante destacar que a vacinação é feita por calendário. Nessa primeira semana, a vacinação será exclusiva para os idosos distribuídos por ordem alfabética nas datas de 23 a 27 de março, levando em conta o primeiro nome do Registro Civil (CNH, RG, Certidão de Nascimento, etc.) da seguinte forma:

– 23/03 — Idosos cujo nome comece com as letras A, B, C, D e E

– 24/03 — Idosos cujo nome comece com as letras F, G, H, I e J

– 25/03 — Idosos cujo nome comece com as letras K, L, M, N e O

– 26/03 — Idosos cujo nome comece com as letras P, Q, R, S, e T

– 27/03 — Idosos cujo nome comece com as letras U, V, W, X, Y e Z

Por conta do isolamento social sugerido pelos especialistas e governantes, uma série de alterações no protocolo serão aplicadas em 2020. Entre as mudanças, está a implementação do drive-thru, no qual as pessoas poderão tomar a vacina sem sair do carro.

O serviço está disponível nas seguintes unidades:

  • Região Sul – UBS 1 do Gama (Setor Sul, Quadra 12)
  • Região Oeste – UBS 5 da Ceilândia (QNM 16, Módulo F, Área Especial)
  • Região Centro Sul – UBS 1 do Núcleo Bandeirante (Área Especial 3, 3ª Avenida), UBS 1 do Riacho Fundo (QN 07, Área Especial nº 09), e UBS 3 do Guará (QE 38 Área Especial)
  • Região Central – UBS do Lago Norte (Setor de Habitações Individuais Norte, QI 3) e UBS 2 da 114 Norte (EQN 114/115 AE)
  • Região Sudoeste – UBS 1 de Taguatinga (QNG, AE 18/19)

Veja vídeo da fila para a vacinação drive-thru no posto da 114 Norte:

Reclamações

No posto da 612 Sul, mesmo com o desafio da Secretaria de Saúde do Distrito Federal de não se formar aglomerações nas filas para evitar a contaminação do novo coronavírus, o Metrópoles flagrou as pessoas muito próximas uma das outras.

A situação foi agravada por causa da chuva. Na 514 Sul, ela fez com que todos se espremessem para procurar abrigo. Na Rua 13 Sul, em Águas Claras, idosos também formaram fila em frente ao posto.

As pessoas tentavam manter distância de pelo menos um metro entre eles, para não contrariar as recomendações. O indicado para quem ficar em pé na fila é se manter a dois metros de distância da pessoa na frente.

Quem estava na fila também reclamou de muita desinformação quanto ao drive thru de vacinação. Na 612 Sul, por exemplo, uma profissional que organizava afirmou que o serviço estava disponível na 514 Sul. Outra disse que era na 612 Sul.

Reforço

Para reforçar o atendimento de milhares de pessoas durante a campanha de Vacinação contra Influenza, a Secretaria de Saúde vai aumentar o número de servidores nos pontos de distribuição da vacina. A determinação foi publicada nesse domingo (22/03), em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF).

De acordo com a Portaria nº159, servidores técnicos e auxiliares de enfermagem, no exercício de suas competências normativas, estão autorizados a realizar os procedimentos de aplicação de vacinas, sob a orientação de um enfermeiro.

A medida visa colocar o maior número de servidores disponíveis para evitar filas e aglomerações.

“Considerando o início da Campanha de Vacinação contra Influenza em 23 de março de 2020 no Distrito Federal e a necessidade de organização do processo de trabalho das equipes a fim de evitar aglomerações nas salas de vacinas”, descreve a portaria, entre outras justificativas apresentadas.

22ª Campanha

A partir desta segunda, os grupos de risco (profissionais de saúde e pessoas com mais de 60 anos) deverão ir aos postos de saúde.

Como os sintomas são semelhantes, a adesão da população à vacina pode diminuir o fluxo nos hospitais e garantir que os médicos consigam diagnosticar os casos de coronavírus com mais facilidade. Até hoje, de acordo com o Ministério da Saúde, a maioria dos casos suspeitos para o novo vírus foi descartada porque era, na verdade, influenza A ou B.

Ficou instituído ainda um calendário dos grupos de risco. Serão três etapas definidas por datas, ordem alfabética, tudo com calendário organizado para evitar aglomerações. Na primeira, que começa nesta segunda=feira (23/03), é a vez dos idosos de 60 anos ou mais e dos trabalhadores da área de saúde. Eles poderão se vacinar até o último dia de campanha, em 22 de maio.

Na segunda fase, entram os professores de escolas públicas e privadas, os profissionais das forças de segurança e de salvamento (Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros) e portadores de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e hipertensão. Essa vai de 16 de abril até 22 de maio.

Na terceira fase, entram as crianças de 6 meses até 6 anos, as gestantes, as puérperas (até 45 dias depois do parto), povos indígenas, os adolescentes de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas, a população carcerária, os funcionários do sistema prisional, os adultos de 55 a 59 anos de idade e as pessoas com deficiência. Essa fase vai de 9 de maio até 22 de maio.

A campanha pretende alcançar 67,6 milhões de brasileiros e foram adquiridas 75 milhões de doses pelo Ministério da Saúde, que estão sendo enviadas aos estados. O Dia D da campanha é 9 de maio.

vacina não tem efetividade contra o coronavírus, mas protege de vários outros vírus que provocam gripes. Estão inclusos vírus inativados de Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). Em 2020, até 14 de março, 165 pessoas foram diagnosticadas com H1N1 e 13 morreram em consequência da doença. Em 2019, foram registrados 5.800 casos e 1.122 óbitos pelos três tipos de Influenza.

Últimas notícias