Corredor do Hospital de Base vira “depósito” de macas sem uso

Servidores reclamam que uma série de outros materiais novos estão se deteriorando. Local dá acesso a subestação de energia da CEB

atualizado 15/10/2019 8:10

Reprodução

Dezenas de equipamentos hospitalares, entre novos e usados, foram amontoados em um corredor dentro do Hospital de Base (HBDF), atrapalhando a passagem de técnicos. O material está na área de acesso a uma subestação de energia da Companhia Energética de Brasília (CEB) que abastece a unidade de saúde e outras localidades na região.

Macas, assentos para banho de pacientes, monitores cardíacos, equipamentos para unidades de terapia intensiva (UTIs) e colchões, entre outros, estão entre os itens enfileirados no local.

Em 4 de outubro, durante uma pane na subestação da CEB, servidores contaram cerca de 20 macas no corredor. “Elas estão amontoadas lá há um bom tempo. São novas e velhas, todas juntas, com risco de estarem estragando e até sendo contaminadas”, afirma um funcionário que pediu para não ser identificado.

“Na outra vez que fomos lá, havia colchões. Se a subestação pega fogo, isso coloca todos em risco. Fora que dificultaria a passagem dos bombeiros ou mesmo dos técnicos da CEB durante uma eventualidade”, completou.

Outro funcionário do hospital criticou o desperdício de material. De acordo ele, enquanto há unidades de saúde sem macas e salas sem equipamentos no DF, “O Base está deixando material em boas condições e até novos se deteriorarem”.

Em nota, a CEB informou ser a responsável pela subestação do Hospital de Base, mas que o corredor é de responsabilidade da unidade de saúde. “A área técnica da CEB Distribuição já teve conhecimento desta questão anteriormente e notificou o Instituto de Gestão Estratégica em Saúde (Iges-DF) para que o acesso à subestação seja desobstruído. As notificações são datadas de 5 de fevereiro de 2018, antes de a nova gestão assumir, e de janeiro deste ano”, disse a companhia.

O Iges-DF, por sua vez, negou que os equipamentos possam trazer riscos ao funcionamento da subestação. Por meio de nota, a entidade afirmou que os equipamentos não estão obstruindo a passagem, e o corredor dá para outras áreas além da reservada à CEB.

Por fim, o Iges-DF afirma que todo o material novo foi comprado recentemente e está sendo registrado no patrimônio. O restante será retirado do local nesta semana, como estava programado junto à Secretaria de Saúde. Uma empresa de logística será contratada para cuidar do armazenamento e distribuição dos materiais para outras unidades geridas pelo instituto.

Últimas notícias