Sanoli, empresa que fornece comida a hospitais do DF, volta a operar nesta sexta

Funcionários da empresa entraram em greve na quarta por falta de pagamento. Proprietários conseguiram empréstimo na tarde desta quinta-feira

atualizado 12/11/2020 20:58

Internet/Reprodução

A empresa Sanoli, que fornece alimentos a seis hospitais do Distrito Federal, deve voltar a operar nesta sexta-feira (13/11). Os funcionários da empresa entraram em greve na última quarta-feira (11/11), por atraso na folha de pagamento.

Segundo o advogado de defesa da Sanoli, Jacoby Fernandes, os proprietários conseguiram um empréstimo na tarde desta quinta-feira (12/11) e pagaram os funcionários, no entanto, a empresa ainda pode deixar de prestar o serviço quando terminarem os alimentos, já que a Sanoli não tem mais verba para comprar insumos.

A empresa fornece alimentos aos hospitais regionais de Samambaia (HRSam), Gama (HRG), Ceilândia (HRC), Asa Norte (Hran), Guará (HRGu), além do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib). Segundo a defesa da Sanoli, o Governo do Distrito Federal (GDF) deve R$ 1,2 milhão à empresa.

0
Briga judicial

Por falta de pagamento, a Sanoli decidiu não renovar o contrato de fornecimento com o GDF em 17 de outubro, quando se encerrava o acordo. O GDF entrou com pedido na Justiça para obrigar a empresa a continuar fornecendo o alimento aos hospitais. O tribunal acatou o pedido com liminar de 16 de outubro, determinando o fornecimento por mais 60 dias, até 17 de dezembro de 2020, sob pena de multa.

Após a decisão, houve audiências de conciliação com as duas partes. A Sanoli afirma que nesses encontros, o GDF se comprometeu a pagar o que deve à empresa ainda em outubro, o que não teria ocorrido. A falta de pagamento do GDF teria relação direta com a greve dos funcionários dessa semana.

Uma segunda liminar da última segunda-feira (9/11), no entanto, revisa a liminar anterior e reconhece as dificuldades financeiras da empresa, além de suspender a multa aplicada em caso de descumprimento do acordo. A Justiça, então, passa a responsabilidade ao DF, em caso de desabastecimento dos hospitais.

A Secretaria de Saúde respondeu por meio de nota que não há atraso nos pagamentos à Sanoli. Segundo a pasta, a nota fiscal dos serviços prestados em outubro, entregue no início de novembro, pode ser paga no prazo de até 30 dias de acordo com o contrato firmado com a empresa. Diz ainda que a SES tem pago com a maior brevidade e celeridade possível, antes mesmo do prazo contratual.

Por fim, afirma que a decisão para que a Sanoli continue prestando os serviços até o dia 17 de dezembro é da Justiça. O descumprimento de decisão judicial pode acarretar multa e outras penalidades previstas em lei.

Mais lidas
Últimas notícias