Após novo impasse, Sanoli volta a suspender refeições na Saúde

Interrupção no fornecimento foi feita na tarde desta quinta (16/01/2020) e atingiu apenas servidores. Pasta nega atrasos com empresa

iStock/ReproduçãoiStock/Reprodução

atualizado 16/01/2020 18:07

Responsável pelo fornecimento de refeições aos pacientes e servidores da rede pública de saúde, a Sanoli voltou a cobrar que a Secretaria de Saúde (SES-DF) quite supostos atrasos em repasses que, segundo a empresa, perduram desde 2014.

Por conta do impasse entre pasta e terceirizada, a alimentação dos servidores foi suspensa nesta quinta-feira (16/01/2020). Em nota, a Saúde confirmou o ocorrido.

Em documento assinado pela direção da empresa e obtido pelo Metrópoles, a Sanoli afirma que os atrasos teriam impossibilitado o pagamento da folha salarial dos funcionários em dezembro do ano passado. Ainda no texto, a companhia afirma já ter alertado a pasta sobre “o risco de falta de gêneros alimentícios e de pessoal”.

A estimativa é de que 40% dos funcionários estejam sem trabalhar em decorrência do imbróglio. Atualmente, a Sanoli possui 1 mil funcionários dedicados aos setes hospitais regionais e às três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em que atuam.

Outro lado

Procurada pela reportagem, a Secretaria Saúde negou que existam atrasos nos pagamentos. “A pasta informa que a nota referente aos serviços prestados em dezembro foi entregue pela empresa no dia 2 de janeiro. De acordo com o contrato, o prazo para a secretaria efetuar o pagamento é de 30 dias após a apresentação da nota”, disse.

Ainda conforme informado pela pasta, as superintendências regionais foram orientadas, em reunião realizada nesta quinta-feira (16/01/2020), a notificar a Sanoli pelo “não cumprimento do contrato”. “A pasta também está tomando outras providências jurídicas. As refeições para pacientes e acompanhantes estão sendo servidas normalmente”, finalizou.

Últimas notícias