Renan Sena volta a xingar Ibaneis, solta fogos na Esplanada e é preso

Em cima de um carro de som, bolsonarista chamou governador de "desgraçado", "covarde" e "frouxo"

atualizado 15/03/2021 19:35

Renan SenaHugo Barreto/Metrópoles

O militante bolsonarista Renan da Silva Sena voltou a xingar o governador do Distrito Federal durante o protesto ocorrido nesse domingo (14/3) na Esplanada dos Ministérios. Contra o lockdown imposto na capital, o homem chamou Ibaneis Rocha (MDB) de “covarde” e “frouxo”. Os impropérios foram disparados após Renan ter sido detido pela Polícia Militar (PMDF), por soltar fogos de artifício próximo ao Ministério do Meio Ambiente, e ser liberado em seguida.

Em um vídeo gravado por manifestantes, Renan aparece em cima de um carro de som, gritando para os veículos que passavam pelo Eixo Monumental. Em um primeiro momento, ele afirma que foi detido e levado para uma delegacia sem ter cometido crime algum. “A PM é intimidada por esse governador. Os caras têm medo desse galo cego”, vociferou.

Após fazer discurso exaltando o patriotismo dos presentes, ele voltou a atacar Ibaneis: “Governador, você é um desgraçado. Seu frouxo! Você não vai mais nos intimidar…!”

Confira:

A fala foi feita logo depois Renan ter sido flagrado com três caixas de fogos de artifício deflagradas. “Vale registrar que, no momento da queima dos fogos, havia muitas pessoas perto do ato, ficando evidente perigo real de lesioná-los”, afirmou a PMDF, em nota.

Liberado

Segundo a PMDF, foi feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra Renan da Silva Sena, visto que o crime de “disparar arma de fogo em lugar habitado e adjacências, em via pública ou em direção a ela” é de menor potencial ofensivo, não havendo necessidade de deslocamento para uma delegacia de polícia.

Durante a carreata, além do fim do lockdown, parte dos manifestantes defendeu intervenção militar no Brasil.

Veja imagens do protesto:

0

O DF, assim como outras unidades da Federação, enfrenta o pior momento da pandemia, com o sistema de saúde em colapso e aumento do número de mortes.

Reincidente

Em junho do ano passado, Renan virou alvo da Polícia Civil e da Justiça por ameaçar o governador Ibaneis Rocha em vídeos que circularam no WhatsApp. As gravações foram divulgadas após o emedebista ter determinado a retirada de acampamentos a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), da Esplanada dos Ministérios. Renan chegou a ser preso e a responder por processo movido por Ibaneis, sob as acusações de difamação, injúria e crimes contra a honra.

Últimas notícias