Região onde entregador foi morto é alvo de disputa entre traficantes do DF

Homem foi baleado na cabeça e abdômen na noite dessa segunda-feira quando fazia entregas para aplicativos

atualizado 01/12/2020 18:07

A região onde o entregador de comidas Anderson Santana Rodrigues, 33 anos, foi morto na noite dessa segunda-feira (30/11) é muito visada pelo tráfico de drogas, e o assassinato dele pode ter ligação com a disputa por território entre os criminosos. O homem não resistiu ao ser baleado na cabeça e no abdômen. Os tiros teriam sido disparados por ocupantes de um carro. O assassinato aconteceu na QNL 18, Conjunto A, Lote 1, no meio da via pública, em Taguatinga.

As informações sobre o caso foram dadas ao Metrópoles pelo delegado-chefe da 17ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Norte), Mauro Aguiar. “Estamos trabalhando com todas as linhas de investigação e ainda é muito cedo para afirmar qualquer coisa, mas as duas principais hipóteses são que ele foi morto por acerto de contas ou que estava ligado ao trafico”, adiantou.

Ainda segundo Aguiar, as investigações são demoradas. Por enquanto, a 17ª DP escutou algumas testemunhas e conseguiu imagens de câmeras de segurança da região onde ocorreu o crime.

Ele conta que, apenas um dia antes, no domingo (29/11), perto do local onde Anderson foi morto, aconteceu outro assassinato parecido. Ocupantes de um carro dispararam três vezes contra um homem que andava em área de disputa do tráfico. O homicídio ocorreu no Setor Hoteleiro Norte 10 da cidade, ao lado da pizzaria e distribuidora Nova Era, às 19h50.

Os carros usados nos dois crimes eram diferentes, mas a forma como ocorreram os assassinatos, segundo o delegado, revela o mesmo modo de agir das disputas entre quadrilhas que atuam na região. “É uma área muito visada pelo tráfico. Por lá, fazemos uma média de quatro ou cinco flagrantes [de tráfico de drogas] por mês, mas vamos trabalhar com todas as linhas [de apuração]”, reiterou o delegado Mauro Aguiar.

Últimas notícias