Professor do DF é o 2° educador a morrer nesta semana por Covid-19

Roberto Pinho, 59 anos, morreu no domingo (16/5), vítima do coronavírus, no mesmo dia em que a professora Jussara Oliveira, de 47, faleceu

atualizado 18/05/2021 14:36

Professor morrer por complicações da Covid-19 no DFDivulgação Sinpro-DF

Professor de matemática no Centro de Ensino Fundamental Caseb, na Asa Sul, Roberto Neanes Lima Caribé Pinho, 59 anos, morreu em decorrência da Covid-19, no domingo (16/5). Roberto é o segundo educador a falecer neste fim de semana por causa da doença. No mesmo dia, Jussara Ximenes, que lecionava em Ceilândia, também perdeu a vida para o Sars-CoV-2. No total, segundo a Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF), 72 docentes da rede pública morreram de Covid-19.

Em nota de pesar, o sindicato ressaltou a importância da prioridade na vacinação dos professores. “Ele ainda poderia estar entre nós caso o processo de imunização, que anda a passos lentos, tivesse o alcançado a tempo. A perda de vidas tão valiosas causa indignação em toda a categoria”, lamentou.

O velório será nesta terça-feira (18/5), às 13h, na Capela 8 do Cemitério Campo da Esperança. O sepultamento acontece em seguida, às 15h.

Na segunda-feira (17/5), o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB)anunciou a vacinação de professores e pessoas entre 30 e 49 anos com comorbidades. A imunização começará por profissionais de creches.
Jussara Ximenes de Oliveira

Jussara Ximenes de Oliveira, 47 anos, também morreu em decorrência da Covid-19, no domingo (16/5). A professora dava aulas de história há sete anos no Centro Educacional 14 de Ceilândia. Segundo a família, a professora sentiu falta de ar enquanto passeava com os cachorros e chegou a avisar a vizinha que não estava bem, mas foi encontrada caída no apartamento.

O Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF) prestou solidariedade aos familiares e amigos neste momento de dor e ressaltou a importância da vacina. “A professora Jussara poderia estar viva se tivesse recebido as duas doses da vacina contra Covid-19”, escreveu, em nota de pesar.
Prioridade

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Otávio Moreira da Cruz, anunciou, na última sexta-feira (14/5), que a pasta deve assegurar vacinas para dar início à imunização dos profissionais da educação contra a Covid-19 até 15 de junho.

“Eu queria deixar claro que, de fato, os professores são importantes, estão priorizados no Plano Nacional de Imunização (PNI), e o compromisso do governo federal é antecipar o quanto antes os imunizantes para que a gente tão logo chegue a eles”, declarou Cruz, em sessão de debates temáticos no Senado Federal.

A representante da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Andréia Pereira da Silva, criticou o teor do Projeto de Lei (PL) 5.595/20, já aprovado na Câmara dos Deputados, que inclui o ensino entre os serviços essenciais e impede a suspensão de aulas durante a pandemia.

Últimas notícias