Pressão por vacina cresce após 9 mortes de PMs do DF em 9 dias

Deputados distritais, associações e sindicatos começaram movimento para garantir imunização e, assim, redução de óbitos entre as forças

atualizado 23/03/2021 10:57

PM e profissional de saúdeHugo Barreto/Metrópoles

Em nove dias, nove policiais militares foram mortos pelo novo coronavírus no Distrito Federal. Diante da escalada dos óbitos, aumentou a pressão pela vacinação contra a Covid-19 para os profissionais de segurança.

Do ponto de vista do presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Rafael Prudente (MDB), a imunização dos integrantes das corporações de segurança é vital neste momento de agravamento da pandemia.

“Estou em contato direto com o governador, e espero para esta semana ainda uma definição. Os policiais e bombeiros estão na linha de frente e precisam ser vacinados com prioridade”, destacou Prudente.

“Já perdemos nove policiais. Temos de reverter esse quadro e dar mais proteção a esses profissionais, para que eles possam fiscalizar e coibir a aglomeração de pessoas em segurança”, explicou.

O líder do governo na CLDF, deputado distrital Hermeto (MDB), tem defendido a vacinação dos profissionais de segurança sistematicamente.

“Venho cobrando exaustivamente a vacinação prioritária para os membros da Segurança Pública e, antes mesmo desse aumento no número de casos de óbito entre os militares, solicitei de forma oficial ao governador a necessidade de imunizá-los”, pontuou.

Segundo Hermeto, os problemas de saúde dos policiais militares e bombeiros do DF vão além da pandemia. “Por isso apresentamos na CLDF um projeto de lei para criar um comitê que pretende fiscalizar os recursos da saúde destinados à Polícia Militar”, acrescentou.

Mortes trágicas

Na segunda-feira (22/3), o presidente da Comissão de Segurança da CLDF, deputado distrital Roosevelt Vilela (PSB), protocolou pedido oficial para o começo da imunização imediata dos profissionais de segurança pública.

“Visto que, pela natureza da função, eles estão muitos mais expostos que outras parcelas da população, o que tem culminado na trágica morte precoce dos nossos heróis”, escreveu em ofício destinado ao governo.

Em 17 de janeiro de 2021, o deputado distrital Reginaldo Sardinha (Avante) encaminhou ofício ao Governo do Distrito Federal (GDF) solicitando a proteção das forças. Para o parlamentar, a vacinação deles é “urgente”.

“Coloco como exemplo os servidores do sistema prisional do DF. É urgente que todos sejam incluídos nas fases iniciais para receberem a vacina”, enfatizou.

O deputado distrital Chico Vigilante (PT) também julga necessária a vacinação de bombeiros e de policiais militares e civis. O parlamentar ainda defende a inclusão de vigilantes, garis e rodoviários no grupo prioritário de imunização.

Tropa

A sequência de mortes é motivo de pesar e preocupação na tropa. Na leitura da Caserna, associação regulamentada que reúne os praças da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), a imunização dos PMs deve entrar em marcha com urgência.

Leia a nota da caserna sobre o tema:

Nota Ao Metropoles by Metropoles on Scribd

Além disso, segundo o presidente em exercício da Caserna, cabo Vitório, a associação busca a implantação da testagem preventiva dos policiais.

Diante do atual cenário da pandemia, a Associação dos Oficiais da PMDF (Asof) também encampa a defesa da vacinação da tropa.

Veja a avaliação do presidente da Asof, tenente-coronel Eduardo Naime:

PCDF

Na segunda-feira (22/3), membros da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) fizeram manifestação pelo direito de serem incluídos no grupo prioritário de vacinação. Cerca de 50 agentes e delegados se encontram em frente ao Complexo da Polícia Civil, no Setor Policial Sul.

“Temos acompanhado a contaminação de nossos servidores e observamos que a contaminação chega a ser quatro vezes maior”, afirmou o presidente da Associação dos Delegados de Polícia Judiciária (ADPJ), Rafael Sampaio.

“Temos colegas morrendo, ficando com sequelas, mas não vemos a preocupação do Estado com isso”, alertou Sampaio. A PCDF tem apoiado as ações de fiscalização contra as aglomerações no DF.

O Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) também defende a vacinação imediata dos agentes. “Também estamos aqui hoje para reivindicar a vacinação prioritária dos policiais civis neste momento crucial”, destacou o presidente da entidade, Alex Galvão.

Perdas

Na última segunda-feira (22/3), morreu o 1º sargento Jorge Luís Pereira da Silva, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

0

Segundo a PMDF, ele não resistiu às complicações do novo coronavírus. É o nono militar morto pelo vírus em nove dias.

De acordo com a PMDF, desde o início da pandemia, mais de 1,6 mil policiais militares foram infectados pela Covid-19 no DF.

Já entre os policiais civis, são 635 contaminados pela doença, além de três óbitos de profissionais que estavam na ativa e 11 de aposentados.

Entre o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), 1.560 bombeiros foram infectados pela Covid-19. Segundo o comando, não houve baixas entre os militares da ativa.

Promessa

Em coletiva de imprensa na segunda-feira (22/3), o GDF sinalizou a intenção de incluir forças de segurança, agentes funerários, servidores da área social, do Instituto Médico Legal (IML) e auditores da DF Legal nos grupos prioritários de imunização. Mas não foram apresentadas datas e regras da vacinação.

Últimas notícias