Rollemberg vota e diz estar sereno e com “sensação de dever cumprido”

O governador do Distrito Federal votou ao lado da esposa, de secretários de Estado e membros da coligação, na Asa Sul

atualizado 28/10/2018 12:34

Luis Nova/Especial para o Metrópoles

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), chegou às 8h30 na Zona Eleitoral 1, na Asa Sul, para votar. Ele estava acompanhado da esposa, Márcia Rollemberg, do vice, Eduardo Brandão (PV), da senadora eleita Leila Barros (PSB), de secretários de Estado, membros da coligação Brasília de Mãos Limpas, assessores e cabos eleitorais.

Após a votação, o governador disse não temer o resultado das eleições. “Com muita tranquilidade vamos esperar o veredito das urnas e o desejo da população de Brasília”, disse ao Metrópoles. Ele aproveitou para fazer uma rápida avaliação sobre sua gestão e destacou pontos batidos na campanha, como o projeto Orla Livre, a construção do Bloco 2 do Hospital da Criança, a criação do modelo do Instituto Hospital de Base, entre outros.

“Acordei sereno, com a sensação de dever cumprido. Sei que pegamos Brasília numa situação difícil tanto do ponto de vista político quanto da economia, mas deixamos um legado à cidade”, afirmou o gestor.

Veja a entrevista ao vivo de Rollemberg ao Metrópoles:

Em frente à Seção 63, em que ele vota, nove pessoas estavam aguardando para acessar as urnas quando o candidato chegou. Rollemberg não usou a prerrogativa de candidato e aguardou sua vez, como todos os postulantes no DF, por cerca de meia hora. Porém, nem todo mundo na fila estava tranquilo, uma vez que as seções mudaram de lugar por conta do tumulto provocado no primeiro turno pela equipe do governador.

O aposentado Evandro Silva Matos, de 67 anos, se incomodou com a alteração. “Trocaram sem avisar a ninguém. Você chega e não tem orientação. Da última vez fiquei aguardando cerca de 40 minutos para votar com problemas na biometria. Já estou aqui há uns 15 minutos”, reclamou.

De acordo com o administrador da zona eleitoral, Francisco José, a mudança foi necessária para tentar organizar melhor o local. “Colocamos as seções mais vazias em lugares mais estreitos. Por conta do governador que vem votar aqui, o espaço fica muito lotado. Tivemos que mudar”. Ele ficou na entrada orientando os eleitores sobre a mudança.

Luis Nova/Especial para o Metrópoles
Rollemberg chega para votar ao lado da mulher, Márcia, do vice, Eduardo Brandão (PV), e de cabos eleitorais

Mais lidas
Últimas notícias