Pesquisa Metrópoles/FSB: para 58% dos brasilienses, governo de Rollemberg é ruim ou péssimo

Entre os eleitores entrevistados, somente 1% declarou achar a atuação do atual chefe do Executivo ótima

atualizado 12/09/2018 20:09

O governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), candidato à reeleição ao Governo do Distrito Federal (GDF), é avaliado como ruim ou péssimo por 58% dos brasilienses. É o que aponta pesquisa encomendada pelo Metrópoles ao Instituto FSB, divulgada nesta terça-feira (11/9).

Para apenas 1% dos entrevistados, a gestão do socialista à frente do Palácio do Buriti é ótima. Outros 28% a classificam como regular, e 10% a avaliam como boa.

A pesquisa entrevistou 1.072 eleitores do DF, entre os dias 7 e 9 de setembro. Ela está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número DF-07940/2018. Em razão dos arredondamentos, os totais podem ficar entre 99% e 101%.

Arte/Metrópoles

 

 

Nota
Quando questionados, em uma escala de zero a 10 – em que zero é muito ruim e 10 é muito bom –, qual seria a nota do governo, 19% dos entrevistados deram zero para a gestão de Rollemberg, e 2% dos abordados, 10. De acordo com a pesquisa, 57% apontaram menção entre 1 e 5. Somente 20% chegariam a pontuações entre 6 e 9.

Entre os entrevistados, 3% não souberam ou não quiseram responder.

Arte/Metrópoles

 

A pesquisa Metrópoles/FSB foi encomendada com o intuito de mapear as opiniões e percepções da população sobre o cenário para as eleições de 2018, bem como avaliar a qualidade de vida no DF, qualificar a atuação do GDF e identificar os principais problemas da região.

Saúde, o pior quesito
Ao avaliarem a qualidade dos serviços públicos prestados pelo Governo do Distrito Federal, como moradia, obras em geral, transporte público, educação, segurança, emprego e saúde, os eleitores elegeram a saúde como o pior ponto da administração do governante do PSB. Somente 1% considera essa área do Distrito Federal boa, e ninguém optou pela avaliação ótima.

A classificação de péssimo foi a resposta para 74% dos entrevistados. A união entre ruim e péssimo eleva o nível de insatisfação para 93%. Ou seja, a cada 10 entrevistados, nove não consideram o serviço nem sequer satisfatório.

Os itens emprego e transporte público também têm 0% de classificação ótima. Quando os brasilienses falaram de ônibus, metrô e BRT, 88% avaliaram esse quesito entre regular, ruim ou péssimo. Na área do emprego, 96% o consideram regular, ruim ou péssimo.

Reprodução/FSB

Reprodução/FSB

Últimas notícias