PDT dispensa Peniel Pacheco e não terá candidato próprio ao GDF

Em reunião conturbada, o diretório regional do partido decidiu ir para a convenção deste sábado (4/8) sem cabeça de chapa

Hugo Barreto / MetrópolesHugo Barreto / Metrópoles

atualizado 03/08/2018 22:45

Depois de três horas de reunião, bate-boca e irritação, o Partido Democrático Trabalhista (PDT) decidiu, na noite desta sexta-feira (3/8), que não terá candidato próprio ao Palácio do Buriti nas eleições de 2018. A legenda chegou a anunciar o presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, e o ex-deputado distrital Peniel Pacho como pré-candidatos, porém não conseguiu chegar a um consenso e abriu mão do cabeça de chapa. Agora, a corrida é para conseguir se encaixar em alguma coligação.

O PDT chega à sua convenção regional, marcada para este sábado (4), sem ao menos um entendimento. O caminho mais provável é a união com a chapa de Eliana Pedrosa (Pros) e Alírio Neto (PTB).

“Foi uma chuva de verão. Regou a esperança de uma nova forma de fazer política, mas não resistiu à secura do fisiologismo”, afirmou Peniel Pacheco, que deixou a reunião na sede do PDT antes de as discussões terminarem. Ele ficou irritado com a possibilidade de retirada de sua candidatura. Porém, a decisão se confirmou em seguida.

“Pessoalmente, não desisti. Se não aconteceu, é porque ‘fui desistido’, apesar de todas as garantias dadas de que a candidatura era para valer. Também não aceitarei disputar qualquer outro cargo em qualquer outra coligação”, disparou Peniel. Ele se sentiu traído.

O deputado distrital Reginaldo Veras disse ter “odiado” o encaminhamento. “Foi aprovado que não teremos candidatura própria. Ir com a Eliana ainda não está certo, mas, se for, farei campanha contra. Isso é ferir minhas bandeiras políticas e do PDT”, disparou Veras.

Contrariando todos os membros da Executiva, o presidente regional do PDT, Georges Michel, minimizou e disse que o martelo ainda não foi batido. “Foi decidido não decidir. Essa reunião foi para organizar a convenção. Conversamos sobre coligações. Nós falamos que temos a candidatura do Peniel e que precisamos viabilizar a chapa”, ressaltou.

Opções
Além da possibilidade de apoiar Eliana e Alírio, a outra alternativa para o PDT – considerada como mais difícil – seria entrar no projeto de reeleição do governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Por último, uma composição com o deputado federal Rogério Rosso (PSD), que disputará o Buriti, em chapa com Cristovam Buarque (PPS), o qual tentará permanecer no Senado.

Últimas notícias