*
 

A operação de retirada de painéis publicitários no centro de Brasília repercutiu também entre os partidos políticos. Onze legendas de diferentes linhas de atuação assinaram nota de repúdio em conjunto para criticar o uso da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) para censurar o Metrópoles. Na manhã de sábado (2/6), o órgão iniciou o desmonte da empena de LED localizada em um edifício no Setor Bancário Sul (SBS).

Entre as legendas signatárias do texto disparado à imprensa, estão PSDB, PSD, PPS, PTB, PSC, PSDC, PSL, Patriota, PR, PRB e MDB.

“Não aceitaremos em nenhuma hipótese esse ou qualquer outro golpe do Governo de Brasília contra a liberdade de imprensa, a democracia e a liberdade de expressão”, registra trecho da nota.

Ainda conforme o documento, a operação reforça a sanha autoritária do atual comando do Palácio do Buriti. “Apenas demonstra, mais uma vez, o ilimitado ‘jogo sujo’ a que se presta o senhor Rodrigo Rollemberg para destruir aqueles que não aceitam, concordam ou simplesmente informam a respeito das trapalhadas do pior governo que o Distrito Federal já teve em toda a sua história”, continuam as agremiações signatárias.

As siglas relacionadas no texto lembram que a atual democracia foi “duramente” conquistada pelo povo brasileiro e, por isso, precisa ser preservada.

“A liberdade de expressão e a liberdade de imprensa são pilares fundamentais da sociedade brasileira. A democracia prevalecerá, a soberania popular prevalecerá, o respeito à Constituição Federal prevalecerá e os justos serão exaltados”, informa o documento.

Após a divulgação do texto, o presidente do PRB-DF, Wanderley Tavares, entrou em contato com a reportagem para comentar a operação comandada nesse sábado (2/6) e pediu para fazer um adendo específico à nota.

Tavares frisou que “há poucos anos, os brasileiros não tinham nem o direito de ir e vir. A ditadura nos calava e o Brasil caminhou a passos largos rumo à democracia. É inadmissível, depois de tudo que passamos, que um governador da capital da República queira calar a voz da imprensa, que é a voz do povo”.

Os 11 partidos se juntam a entidades ligadas à liberdade de expressão – como a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Distrito Federal (OAB-DF), além de congressistas e deputados distritais – que classificaram a ação de Rollemberg como censura.

Leia o documento na íntegra:

Nota de repúdio a Rodrigo Rollemberg

Vivemos numa democracia plena e duramente conquistada pelo povo brasileiro. A liberdade de expressão e a liberdade de imprensa são pilares fundamentais da sociedade brasileira. Repudiamos veementemente a atitude do governador Rollemberg em censurar o veículo de comunicação “Metrópoles”, ao retirar – sem qualquer justificativa – o painel devidamente autorizado e instalado em prédio particular, na área central do Plano Piloto, em Brasília.

Esse painel veiculava informações de interesse da população, das mais variadas matérias, para fins de campanhas de utilidade pública. Não aceitaremos em nenhuma hipótese esse ou qualquer outro golpe do Governo de Brasília contra a liberdade de imprensa, a democracia e a liberdade de expressão.

Não podemos ficar calados perante essa situação que apenas demonstra mais uma vez o ilimitado “jogo sujo” ao qual se presta o senhor Rodrigo Rollemberg, para destruir aqueles que não aceitam, concordam ou simplesmente informam à respeito das trapalhadas do pior governo que o Distrito Federal já teve em toda a sua história.

Temos a obrigação de denunciar à população os métodos com que o atual governo tem usado para “calar” as vozes daqueles que procuram mostrar a incompetência sem limites do senhor Rodrigo Rollemberg. A democracia prevalecerá, a soberania popular prevalecerá, o respeito à Constituição Federal prevalecerá e os justos serão exaltados.

PSDB-PSD-PPS-PTB-PSC- PSDC-PSL-PATRIOTA-PR-MDB-PRB

 

 

COMENTE

PSDPSDBPSCppsptbprpslpartidos políticospatriotaPSDCPPLRollemberg censura Metrópoles
comunicar erro à redação

Leia mais: Política