Ibaneis manda distribuir suco, maçã e pão com manteiga para o público

Para ficar mais perto dos eleitores, o governador determinou também que retirassem as grades que cercava a tenda na Praça do Buriti

Isadora Teixeira/MetrópolesIsadora Teixeira/Metrópoles

atualizado 01/01/2019 15:35

Após tomar posse na Câmara Legislativa, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), seguiu para a Praça do Buriti. O emedebista quebrou a programação e mandou abrir as entradas para a tenda onde foram nomeados os 29 secretários. Cerca de 1,4 mil pessoas, de acordo com a estimativa da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), foram ao local no começo da tarde desta terça-feira (1º/1).

Antes, apenas 2 mil convidados poderiam assistir debaixo da tenda paga pelo governador e posicionada em frente ao Buriti. Mas Ibaneis mandou retirar as grades e decidiu liberar o acesso a todos, para ficar mais perto do público. Lanches foram distribuídos aos presentes. No pacote, pão com manteiga, suco em caixinha e maçã.

Antes de seguir para o Buriti, Ibaneis Rocha tomou posse na Câmara Legislativa. Após a execução do hinos Nacional e de Brasília pela banda do Corpo de Bombeiros, o emedebista fez o juramento e assinou o termo de posse na Casa. Em discurso improvisado, prometeu estar perto do povo e honrar cada voto.

“Tenho certeza que foi Deus que me escolheu para estar neste momento, porque sabe do meu trabalho e da minha força de querer fazer”, destacou. Ibaneis disse ainda querer trabalhar de forma unida, independentemente de partidos ou ideologias. “Eu digo que não costumo olhar pelo retrovisor. Temos que fazer uma gestão que olha para frente”, afirmou.

O emedebista também citou os muitos problemas que vai ter de enfrentar a partir desta terça (1º). “A saúde do DF está em frangalhos. A segurança pública, um caos, e as corporações se veem no direito de brigarem entre si. Isso vai acabar. Assim que o secretário de Segurança [Anderson Torres] for empossado, todas as forças terão de se reportar a ele. Quero respeito à população”, avisou.

Ibaneis disse também que encara o desafio “com muito carinho e orgulho”. “Não vou apenas honrar a Lei Orgânica e a Constituição, vou honrar cada voto, de cada um de vocês”, assinalou.

 

 

O advogado e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no DF (OAB-DF) relembrou, ainda, o momento em que decidiu sair candidato ao Palácio do Buriti. “Começou ali uma luta e a primeira coisa foi decidir em qual partido me filiar. Fui muito bem-recebido no MDB, por [Tadeu] Filippelli [ex-vice-governador], que nunca pediu nada em troca. Saímos de 0,7% e chegamos aos 70%. Isso não foi o ‘fenômeno Ibaneis’. Isso foi o povo querendo mudança. Governo para mim tem que ser para pobre. Rico basta não atrapalhar”, salientou.

Ibaneis também disse que não tem oposição ou situação. “Porque não vim de uma ou de outra. Sou fruto da vontade do povo e, por isso, não tratarei ninguém de forma diferente”, afirmou, ao dirigir as palavras à petista Arlete Sampaio, recém-empossada deputada distrital. “Está na hora de o povo do DF voltar a sorrir”, acrescentou.

Único distrital da Mesa Diretora reeleito, Robério Negreiros (PSD) presidiu a cerimônia no auditório da CLDF. Entre as autoridades que prestigiaram a posse, estavam o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha; o vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Renato de Lacerda Paiva; os presidentes da OAB-DF, Juliano Costa Couto; do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), Romão Cícero de Oliveira; do Tribunal de Contas do DF, Anilcéia Machado; e da OAB nacional, Claudio Lamachia.

Missa no Santuário
Ibaneis começou o primeiro dia do ano no Santuário Dom Bosco, na Asa Sul, onde participou de uma missa ao lado de amigos, familiares e integrantes do primeiro escalão de sua gestão, por volta das 8h. Depois, o emedebista seguiu para a posse na Câmara Legislativa e terminou a programação no Palácio do Buriti.

Ao chegar ao santuário, Ibaneis cumprimentou muitos presentes e disse que foi buscar proteção para governar o DF pelos próximos quatro anos. “Temos consciência dos problemas do DF e, por isso, viemos pedir bênçãos”, disse.

Vestindo terno preto, o emedebista chegou acompanhado da esposa, Mayara Noronha, e da mãe, Maria Mercedes, entre outros familiares. O filho João Pedro o acompanhou na posse da CLDF e também na transmissão da faixa no Palácio do Buriti.

Antes de a missa celebrada pelo arcebispo de Brasília, dom Sérgio da Rocha, ter início, o novo governador reforçou suas prioridades. “Vamos cuidar da saúde. É uma determinação imediata. Também precisamos de medidas na área da segurança. Trazer mais policiais, principalmente aqueles que estão na reserva e aposentados, para que a gente possa reabrir as delegacias do DF“, disse.

Ibaneis falou ainda da expectativa para receber a faixa das mãos do governador Rodrigo Rollemberg (PSB). “Trabalhei muito no ano de 2018 para isso. A campanha foi bastante acirrada e esse momento de preparação com a transição nos trouxe mais consciência dos problemas que vamos encontrar. A expectativa da população é muito grande e positiva, de que vamos conseguir mudar a vida das pessoas com esse compromisso que assumimos hoje, dia 1º de janeiro”, ressaltou.

O emedebista disse que todo o esforço será para cumprir os compromissos de campanha. “Mas sempre com Deus na frente fica mais fácil. Vim aqui pedir essa proteção. Peço que Deus nos ilumine na decisão que vamos tomar. O governo não é de quem mais acerta, mas sim de quem menos erra”, assinalou.

Para Ibaneis, outra prioridade é a geração de emprego. “Voltando a dar credibilidade ao empresariado na área privada e lançando os editais das obras públicas, que estão previstos para 2019. Vamos fazer um choque na economia do DF, trazendo novas empresas. Temos notícias de novas empresas que querem se instalar no DF e vamos dar todas as condições”, afirmou.

Proximidade com o governo federal
O governador eleito espera contar com a presidência de Jair Bolsonaro (PSL), que também será empossado nesta terça (1º). “Acho que o governo federal é a grande fonte de renda que existe no país, principalmente na área de saneamento básico e construção de casas populares. Tudo isso traz muitos recursos. Eu acredito no presidente Bolsonaro e em sua equipe. A previsão de crescimento econômico é muito boa”, disse.

Entre as autoridades presentes na missa, estavam o futuro secretário de Fazenda e Planejamento, André Clemente; Anderson Torres, secretário de Segurança; Fernando Leite, presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb); e a próxima comandante da PM, a coronel Sheyla Soares Sampaio.

O vice-governador do DF, Paco Britto, também esteve no santuário, bem como José Sarney Filho, que será secretário de Meio Ambiente do DF; o chefe da Casa Civil, Eumar Novacki; o adjunto da pasta, Marcelo Martins Cunha; e Estefânia Viveiros, ex-presidente da OAB-DF.