Ibaneis Rocha (MDB) recebeu de Rodrigo Rollemberg (PSB), no início da tarde desta terça-feira (1º/1), no Palácio do Buriti, a faixa de governador do Distrito Federal. Os dois se trataram cordialmente, mas não discursaram. Já na praça em frente à sede do Executivo local, perante 1,4 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, o emedebista mandou retirar as grades que o separavam do público e voltou a criticar a situação da saúde pública em seu primeiro pronunciamento como novo gestor número 1 do DF: “Está moída, com pessoas morrendo”.

A determinação de Ibaneis de remover as cercas e ficar mais próximo às pessoas contrastou com o visto na posse do novo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PSL), marcada como o maior esquema de segurança da história da capital.

O novo governador ainda garantiu que irá criar políticas a fim de valorizar os servidores públicos, mas ressaltou que irá cobrar resultados.

Quero e vou valorizar os servidores, a partir da segurança, saúde e educação. Mas vou cobrar igual pai: dar com uma mão e cobrar com firmeza com a outra"
Ibaneis Rocha, governador do DF

Mais cedo, na Câmara Legislativa, em seu discurso de posse, o novo chefe do Executivo local deixou claro que não vai admitir insurgências na sua gestão: “Todos terão que cumprir as ordens”, disse o novo governador, numa referência às disputas entre as polícias Militar e Civil do DF.

Ele ressaltou que assume o GDF com a saúde “em frangalhos” e que ele será um governador de “todos os brasilienses”.  Eleito com 1.042.574 votos, ou 69,79% do total, o advogado e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) vai comandar o DF pelos próximos quatro anos.

Embora tenha preparado um discurso, o ex-presidente da OAB-DF preferiu falar de improviso. Disse que “governo tem que ser para pobre” e mandou um recado até para possíveis adversários durante seu mandato.

“Não tenho oposição ou situação, porque não vim de um ou de outro. Sou fruto da vontade do povo e, por isso, não tratarei ninguém de forma diferente” disse, ao dirigir as palavras à petista Arlete Sampaio, recém-empossada deputada distrital.

 

Veja as fotos da posse no Palácio do Buriti:

 

 

Veja as fotos da cerimônia no Santuário Dom Bosco:

 

Antes, o novo chefe do Executivo local participou de uma missa no Santuário Dom Bosco, onde prometeu “determinação” para resolver os problemas da saúde e da segurança pública logo nos primeiros dias de 2019.

“Vamos cuidar da saúde, é uma determinação imediata. Também precisamos de medidas na área da segurança, trazer mais policiais, principalmente aqueles que estão na reserva para que a gente possa reabrir as delegacias do DF”, declarou ele, acompanhado da mãe, Maria Mercedes, e da esposa, Mayara Noronha.

Antes do início da celebração, Ibaneis avisou que, a partir desta quarta-feira (2/1), vai trabalhar para que todos os administradores regionais estejam indicados. “Para estarmos com o nosso SOS Distrito Federal funcionando a partir de amanhã [2]. Com várias equipes na limpeza e conservação da cidade, na melhoria do asfalto”, assinalou.

Empossado na CLDF
Por volta das 9h10, Ibaneis seguiu para a Câmara Legislativa, onde prestigiou a posse dos deputados distritais eleitos. Forte candidato à presidência da CLDF, Rafael Prudente (MDB), chegou à Casa acompanhado da família, incluindo o pai, o ex-distrital Leonardo Prudente. Prudente é réu na Operação Caixa de Pandora e ficou conhecido por ter sido flagrado em vídeo escondendo dinheiro nas meias.

Sem mandato há quatro anos, a petista Arlete Sampaio retorna à CLDF e reconhece o cenário pouco favorável ao PT. “Mas são os desafios que nos animam mais”, disse. Uma cena curiosa marcou a manhã: subtenente da reserva da Polícia Militar e deputado eleito, João Hermeto (PHS) chegou ao local a bordo de um fusca caracterizado com as cores e símbolos da corporação.

Veja imagens da posse na CLDF:

Veja como foi a cobertura: