Ibaneis consultará Jofran Frejat sobre nomes para Secretaria de Saúde

O governador eleito do DF indica, nesta terça-feira (30), os coordenadores da transição e intensifica trabalhos para escolha do secretariado

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 30/10/2018 8:03

O governador eleito pelo Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), vai ouvir o médico Jofran Frejat (PR) antes de escolher o nome para comandar a Secretaria de Saúde do DF a partir de 2019. O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional DF (OAB-DF) afirmou, durante agenda no Palácio do Planalto, na segunda-feira (29/10), que será cauteloso para escolher sua equipe. Ele pretende se cercar de “boas experiências” e de especialistas no assunto para formar o que chama de “time dos melhores”. Segundo Ibaneis, a Saúde é “prioridade zero”.

Frejat deve ser um conselheiro ao lado de outros especialistas que acompanharam Ibaneis durante a campanha. O ex-secretário de saúde tem expertise em uma área que interessa a Ibaneis: o modelo de Fundação Hospitalar, instituído por Juscelino Kubitschek em 1960. Frejat é médico, pós-graduado pela Universidade de Londres em 1972, foi secretário de saúde no governo Aimé Lamaison e ocupou uma cadeira no conselho diretor da Fundação Hospitalar do Distrito Federal. Ele não deve indicar um nome diretamente, mas atuará como ponto de equilíbrio.

O ex-secretário tem ainda forte influência política no DF. Chegou a se declarar pré-candidato ao Palácio do Buriti e, mesmo sendo o nome mais cotado pela população, desistiu da disputa. À época, Frejat afirmou que não entregaria sua alma a “demônios da política brasiliense” para competir ao cargo.

Agenda intensa
Ibaneis foi eleito no último domingo (28), com 69,79% e, desde então, assumiu intensa agenda. Encontrou-se com o presidente da República e correligionário, Michel Temer (MDB), para tentar recursos para o DF. Nesta terça-feira (30) deve se reunir, pela manhã, com o governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). O Entorno estará na pauta da conversa. Às 21h, será recebido pelo ministro das Cidades, Alexandre Baldy.

Ibaneis quer apoio da área federal para descentralizar as juntas comerciais e instituir a Zona de Livre Comércio do DF. “Quero descentralizar as juntas para desburocratizar o processo. Isso atrapalha as empresas. Quero colocar Brasília no papel de polo de integração entre as Regiões Norte, Sul e Nordeste”, afirmou.

O tema também foi tratado com Temer. Ibaneis pediu ao presidente ajuda para criar a Zona de Livre Comércio no DF, uma ideia similar ao que ocorre na Zona Franca de Manaus: consiste em abrir mão de uma parte da arrecadação de impostos e aumentar o volume de recursos que entram nos cofres públicos com o fluxo de negociações entre os estados.

Seria uma proposta para gerar emprego e renda e alavancar a economia da capital. Temer respondeu positivamente e levantou a possibilidade de encaminhar um decreto sobre o assunto ao Congresso Nacional.

Outro tema de conversas foram alterações no modelo do Fundo Constitucional do DF. Ibaneis levantou a possibilidade de as aposentadorias de policiais serem pagas pelo regime próprio da Previdência Social. “Essa análise será feita dentro do governo. A medida liberaria recursos para que possamos contratar novos policiais e melhorar a segurança”, disse o governador eleito.

Transição
Os processos para o início da transição do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) para a gestão de Ibaneis também andaram de forma célere. O Centro de Convenções Ulisses Guimarães foi escolhido para abrigar o gabinete de transição. A Casa Civil coordenará o processo pelo GDF. A equipe de coordenação de Ibaneis será divulgada nesta terça-feira (30), com o decreto no Diário Oficial do DF que apresentará as regras da transição.

É nesse período que o ex-presidente da OAB-DF vai definir seu secretariado. Ele anunciou que pretende aumentar o número de secretarias, hoje fixadas em 21, sem que isso signifique criação de cargos. Ibaneis pretende enxugar os quadros mesmo ampliando o número de pastas. Ele tem arquitetado ideias para as nomeações, mas pretende amadurecê-las durante o período de transição.

Participarão do processo integrantes das secretarias de Fazenda, Planejamento, Educação, Saúde, Assistência Social e Segurança Pública. “A orientação do governador Rodrigo Rollemberg é buscar interação e maior harmonia possível com Ibaneis para passarmos todas as informações necessárias”, afirmou o secretário-chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio.

Ibaneis também se demonstrou tranquilo para o processo. Ele deixa a equipe de coordenação montada nesta terça (30) e viaja para São Paulo, onde fará um check-up médico. Ele volta a Brasília na próxima segunda-feira (5/11).

Escolhas
Para o primeiro escalão, o emedebista revelou um dos nomes. O governador eleito anunciou ao Metrópoles André Clemente para chefiar a Secretaria de Fazenda.

“O André é auditor da Receita, tem experiência, ajudou a elaborar o plano de governo. O restante da equipe quero descobrir, trazer os melhores nomes, tirar a cidade dessa polarização azul/vermelho, que fez muito mal ao DF. Quero fazer uma política diferenciada”, enfatizou.

Últimas notícias