Expansão do IHBDF. Veja o que pensam os distritais sobre novo projeto

Depois de idas e vindas, GDF e CLDF começam a sinalizar possibilidade de ampliar o modelo de gestão para outras unidades de saúde

atualizado 23/01/2019 14:17

Igo Estrela/Metrópoles

Após quase uma semana de troca de farpas entre o governador Ibaneis Rocha (MDB) e a Câmara Legislativa (CLDF) sobre a expansão do modelo do Instituto Hospital de Base (IHB) a outras unidades, os dois poderes começam a sinalizar um acordo para votação do projeto que integra o pacote de medidas enviado pelo Executivo local para aprovação dos deputados distritais.

O Palácio do Buriti decidiu recuar em questões que desagradaram os parlamentares, em especial no texto que altera e amplia o IHB, e houve, assim, sinalização de quórum para apreciar a matéria na próxima quinta-feira (24/1), em sessão extraordinária.

O Metrópoles procurou cada um dos 24 deputados distritais a fim de saber como eles pensam em votar a matéria a ser analisada na autoconvocação. A maioria (8) se declarou indecisa. Três parlamentares estão fora da cidade e não está confirmada a participação deles na sessão. Sete integrantes da base governista são favoráveis à proposta e seis se mostraram contra. A tendência é de que o projeto seja aprovado, mas não há como cravar que o Buriti terá vitória avassaladora.

Dentro do Legislativo local, há posicionamentos diversos, entre os defensores da proposta do GDF, os contrários e aqueles que ainda avaliam se aprovam ou rejeitam a medida. Conforme o Metrópoles antecipou, o Palácio do Buriti aceitou acatar, em parte, pedido dos deputados e suprimiu do texto original a extinção de carreiras e de benefícios ligados aos servidores da Saúde.

 

Veja como se pronunciou cada parlamentar:

0

 

Mesmo com a sinalização dada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), alguns distritais continuam resistentes à aprovação da medida. “Suprimiram o artigo que extingue cargos, mas continua a contratação em regime celetista. A previdência é mantida pelos servidores concursados. No futuro, não teremos como nos aposentar, porque não haverá recursos para mantê-la. Votar a favor é votar contra tudo que lutei contra todos esses anos”, declarou o distrital Jorge Vianna, representante de servidores da área e presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura.

Dentro dos corredores da Câmara Legislativa, há quem pondere que o projeto precisa ser melhorado. Os deputados Eduardo Pedrosa (PTC), Robério Negreiros (PSD) e Rafael Prudente (MDB) apresentaram emenda a fim de retirar o Hospital de Taguatinga da mira do Palácio do Buriti.

“Fizemos algumas emendas conjuntas ao projeto e, sendo acolhidas, não haverá dificuldade em aprovar”, disse Pedrosa. A condicionante é compartilhada por Negreiros. “Temos de melhorar a medida de modo que saibamos exatamente o que está por vir”, pontuou.

Oposição
Entre os contrários, o grupo oposicionista trabalha para tentar retirar o item do projeto da convocação extraordinária. Representante do PSol, o deputado Fábio Felix já adiantou que não concorda com a expansão do modelo de gestão do Instituto Hospital de Base. O posicionamento do parlamentar é reforçado com a intenção de apresentar requerimento para retirar de pauta a polêmica proposta.

Tão enfático como o colega oposicionista, o petista Chico Vigilante não só afirmou ser contrário à medida como criticou o governador Ibaneis Rocha devido ao fato de o emedebista ter descumprido uma de suas principais promessas de campanha. “Ele está sacramentando o que foi contra durante a campanha e, agora, está até estendendo, o que é muito estranho. Sempre fui contra e acho que o projeto é nocivo para o DF. Se ele quiser discutir saúde com seriedade, estou à disposição, mas não dessa forma atropelada”, destacou.

Na ala dos defensores do projeto enviado pelo Palácio do Buriti, o distrital Cláudio Abrantes (PDT) encabeça o grupo que pretende ampliar o atual modelo do Instituto Hospital de Base, que facilita contratações e compras de medicamentos.

“Sou o líder do Governo na Casa e testemunhei o tanto que o governador trabalhou para adequar o texto de acordo com os pedidos dos deputados e dos servidores. Precisamos mostrar para a população que estamos preocupados com a precariedade da saúde pública e as dificuldades de quem lida com todo esse caos diariamente”, frisou o pedetista.

Na mesma esteira, a petebista Jaqueline Silva deve seguir a orientação governista e apoiar a ampliação do formato de gestão do principal hospital do Distrito Federal. “Estamos mais sensíveis aos projetos enviados pelo GDF após as adequações efetuadas no PL da Saúde. Depois da visita ao Hospital de Santa María, realizada ontem [segunda-feira (21)], vimos que é urgente um choque de gestão”, declarou à reportagem.

Negociações
Embora o GDF tenha enviado novo projeto com as alterações pedidas pelos parlamentares, ainda existem distritais à espera de um bônus – e que seja por meio de cargos na estrutura governamental. Uma fonte do governo garantiu que o recado do governador Ibaneis Rocha foi claro para, pelo menos, dois deputados: “Ele disse que o projeto foi corrigido e não adiantará pressionar por cargos. Cada um que se posicione como quiser”.

Últimas notícias