*
 

Pré-candidata ao Palácio do Buriti pelo Pros, a ex-deputada distrital Eliana Pedrosa garantiu que, caso seja eleita, não permitirá às empresas pertencentes a sua família disputarem licitações com o poder público local. A declaração foi dada após questionamento do jornalista Cláudio Humberto, da BandNews FM e do site Diário do Poder, durante o primeiro debate entre os postulantes ao Governo do Distrito Federal, realizado na noite dessa segunda-feira (9/7) pelo Metrópoles.

“Antes de entrar nessa empreitada, estabeleci um pacto com minha família, conversamos muito sobre isso, pois sabia que seria um ponto crucial para o desenvolvimento da minha campanha. Ficou estabelecido que não participaríamos mais do processo licitatório de empresas aqui no Distrito Federal”, declarou.

Pressionada pelo colunista sobre a contratação de empresas ligadas a políticos por licitações públicas durante sua possível gestão, Eliana afirmou não ver problemas na contratação, desde que prestem um bom serviço ao Estado e os políticos ligados a essas firmas não tenham participação direta em sua eventual gestão.

“Se elas ganharem um processo licitatório, oferecerem um menor preço e entregarem um serviço de maior qualidade, pelo princípio da separação de Poderes, entendo que não possa haver interferência para que eles [políticos] sejam privilegiados”, pontuou.

Vocação setorizada
Durante o debate, a pré-candidata enalteceu a dobradinha firmada com o também ex-distrital Alírio Neto (PTB), que será vice em sua chapa. Segundo ela, o governador atual até tentou fazer algo pela cidade, mas “faltou diálogo com a sociedade”.

Quando tocou no assunto educação, Eliana disse ser preciso levar a tecnologia necessária para todas as salas de aula: “Precisamos dar a todas as crianças um tablet para que elas possam dialogar com esse mundo novo que se apresenta”.

Sorteada para responder o internauta de São Sebastião Samuel Macedo sobre a descentralização dos serviços públicos, a pré-candidata do Pros disse pretender fortalecer as administrações regionais. “Vamos descobrir a vocação de cada cidade e implementar todos os serviços para que os cidadãos não saiam das suas cidades [para resolver problemas]”, disse a ex-distrital.

Antes disso, a postulante ao Palácio do Buriti defendeu mais agilidade nos processos de licenciamento de obras. “O governo é muito rápido para cobrar, mas lento demais para ajudar o desenvolvimento”, criticou Eliana Pedrosa.