Eleições na CLDF: distritais fazem “romaria” a escritório de Ibaneis

Pelo menos quatro deputados estiveram com o governador eleito para saber o posicionamento dele sobre a disputa pela presidência da Casa

Filipe Cardoso/Especial para o MetrópolesFilipe Cardoso/Especial para o Metrópoles

atualizado 20/12/2018 20:53

A disputa pela presidência da Câmara Legislativa movimentou, na quarta-feira (19/12), o escritório do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB), no Setor de Administração Federal Sul. Pelo menos cinco distritais foram ao encontro do futuro chefe do Executivo local para saber suas impressões sobre o pleito.

Os encontros foram motivados por boatos de que membros do grupo de transição estariam apontando uma preferência de Ibaneis Rocha por Rafael Prudente (MDB), do mesmo partido do governador eleito.

Daniel Donizet (PRP), Eduardo Pedrosa (PTC), Iolando (PSC) e Jorge Vianna (Podemos) se reuniram com o governador eleito a convite do próprio emedebista. De acordo com representantes do grupo, Ibaneis teria negado a predileção tanto por Prudente quanto por Cláudio Abrantes (PDT) – ambos o apoiaram durante a campanha deste ano ao Palácio do Buriti.

“Perguntamos sobre a presidência e ele disse que não tem um preferido, porque os candidatos que se apresentaram até agora são da base. Acredito que teremos uma definição nos próximos dias”, avaliou Daniel Donizet.

Após a conversa, Jorge Vianna disse acreditar que não haverá interferência do governador eleito na eleição, marcada para 1° de janeiro. “Como não existe negociação de espaços, não existe interferência nem favorecimento. Nosso voto será por afinidade, pela história política de cada um dos candidatos à Mesa”, afirmou.

O grupo deve anunciar nesta sexta (21) quem receberá apoio. A tendência, hoje, é endossar a candidatura de Prudente.

Sobraram dois
A disputa pela presidência da Câmara Legislativa tem, no momento, apenas dois candidatos: Cláudio Abrantes e Rafael Prudente. Antes havia cinco nomes, três desistiram: Agaciel Maia (PR), Reginaldo Veras (PDT) e Rodrigo Delmasso (PRB) – este último oficializou aos colegas que se candidatará à vice-presidência.

Mesmo sem oficializar apoio a nenhum dos dois candidatos restantes, pessoas próximas a Ibaneis Rocha estariam prometendo espaços no governo em troca de apoio a Rafael Prudente. A conversa teria inclusive causado mal-estar entre Cláudio Abrantes e o futuro chefe do Executivo.

“O que tem acontecido é que em reuniões alguns membros da transição estão oferecendo abertamente espaço em administrações para os deputados, mesmo com a previsão de eleições, para apoiarem o candidato do partido do governador”, disse uma fonte que presenciou as diversas reuniões de quarta-feira [19] e pediu anonimato.

A 11 dias para o pleito, o número real de votos que cada um dos candidatos tem ainda está indefinido. Pessoas próximas aos dois acreditam que tanto Abrantes quanto Prudente teriam entre 8 e 10 votos encaminhados. Os possíveis votos de quatro deputados ainda são incógnitas.

Para ser eleito, Rafael Prudente precisa alcançar a maioria de 13 votos e, para Cláudio Abrantes, o empate em 12 a 12 resolve. Isso porque, nos critérios de desempate, o pedetista tem mais mandatos do que o emedebista – três a dois, além de uma suplência.

Ao Metrópoles, Rafael Prudente disse desconhecer qualquer movimentação em prol do nome dele partindo do governo de transição.

“Não tenho esse tipo de informação e, por ter participado da campanha no segundo turno, conheço muitas pessoas que gostam de mim. Se estão fazendo lobby, não estou sabendo, e o governador não compactua com isso. Todos os dois candidatos, tanto eu como o Cláudio, participaram e temos legitimidade para disputar a presidência, assim como outros também”, afirmou.

Segundo a assessoria do governador eleito, “o futuro chefe do Executivo tem dito que não vai interferir na questão, mesmo existindo rumores de que ele teria um preferido entre Cláudio Abrantes e Rafael Prudente. Para o governador, a eleição da Casa é uma questão interna do parlamento local e não deve passar por ele”.

Procurado, Abrantes não quis comentar o assunto.

Últimas notícias