Distrital Iolando assume a Secretaria da Pessoa com Deficiência

Deputado se licenciou do cargo na Câmara Legislativa. Suplente Pastor Daniel de Castro, que é administrador de Vicente Pires, assume o posto

Myke Sena/Especial para o MetrópolesMyke Sena/Especial para o Metrópoles

atualizado 18/09/2019 21:03

O deputado distrital Iolando Almeida (PSC) se despediu, nesta quarta-feira (18/09/2019), de seu cargo na Câmara Legislativa. Ele se licencia para assumir a Secretaria da Pessoa com Deficiência. No lugar dele, assume o administrador de Vicente Pires, Pastor Daniel de Castro (PSC), que deverá ficar por apenas 15 dias, deixando a vaga, após esse período, para o segundo suplente, Peppa (PSC).

Apesar da licença, Iolando manterá o salário e os benefícios do cargo de distrital. Atualmente, a remuneração bruta de um parlamentar da Câmara Legislativa é R$ 25.322,25.

A criação da pasta foi sancionada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) em 11 de setembro. A princípio, ela estará ligada à estrutura da Casa Civil. A função da Secretaria da Pessoa com Deficiência será de articulação de políticas, e não de execução delas, de acordo com o próprio secretário.

“Essa é uma secretaria que precisava existir desde sempre. Sei que será difícil, não tem estrutura ainda. Mas não estou indo para lá por isso. Fiz um compromisso com o governador Ibaneis Rocha e vou assumir esta pasta tão importante para milhares de pessoas com deficiência do Distrito Federal”, declarou Iolando. A licença será publicada no Diário Oficial da Casa (DCL) de quinta-feira (19/09/2019).

Distritais se comprometeram a ajudar o colega a aprovar medidas que ajudem as pessoas com deficiência. Entre eles, Arlete Sampaio (PT), Jorge Vianna (Podemos), Fábio Felix (PSol), Jaqueline Silva (PTB), Leandro Grass (Rede), Roosevelt Vilela (PSB) e Júlia Lucy (Novo).

“Estarei aqui aguardando suas orientações e me comprometo a mandar emendas necessárias para ajudar nessa estrutura que ainda está nascendo. Estaremos juntos”, disse Jorge Vianna. A deputada Jaqueline Silva disse que tentará aprovar matérias que ajudem as políticas para pessoas com deficiência.

Apesar de estar deixando a Casa, Iolando anunciou que continuará recebendo o salário de distrital, abrindo mão dos vencimentos de secretário. Com isso, a exemplo do que aconteceu quando Daniel Donizet (PSDB) foi para a administração do Gama, a Casa manterá o pagamento de 25 deputados.

“Vou continuar recebendo pela Casa porque não posso cortar meu vínculo com o plano de saúde, pois preciso dele para emergências”, explicou Iolando, que sofreu um acidente e tem os movimentos do braço esquerdo comprometidos.

Últimas notícias