PCDF prende homem que espancava prostitutas da W3 Norte

Suspeito abordava garotas de programa na W3 Norte e as estuprava em motéis e matagais do DF. Uma das vítimas pulou do carro em movimento

atualizado 13/03/2020 18:42

Homem é preso acusado de espancar e estuprar prostitutas na Asa NorteDivulgação/PCDF

Um homem conhecido por espancar prostitutas foi preso preventivamente pela Polícia Civil do DF (PCDF). Após sete meses de investigação, agentes da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) chegaram até Veridiano Almeida Lima, 50 anos. Ele foi apontado por várias garotas de programa como responsável por bater e estuprar mulheres que fazem ponto na W3 Norte.

Com os depoimentos prestado pelas vítimas, os policiais conseguiram provas dos crimes. A primeira agredida, de 19 anos, foi abordada pelo criminoso em agosto do ano passado, quando esperava por clientes na altura da 704 Norte. A jovem contou que Veridiano se aproximou em um Jeep Renegade e disse que pagaria R$ 200 pelo programa.

A garota prontamente aceitou a oferta e entrou no veículo. Com o carro em movimento, o homem afirmou que levaria a prostituta para sua fazenda, em Sobradinho. Ela, então, se recusou e informou que atenderia somente em hotéis e motéis da região. Os dois seguiram para o Colorado e, assim que subiram as escadas do estabelecimento, a jovem pediu que o programa fosse antecipadamente. Em seguida, Veridiano agarrou a vítima pelos cabelos para a obrigá-la a fazer sexo oral nele.

A garota contou à polícia ter conseguido se desvencilhar e o empurrou para varanda, trancando a porta de vidro em seguida. Transtornado, o agressor gritou que mataria a prostituta. Em seguida, a jovem conseguiu fugir do motel.

Mais casos

O crime mais recente praticado pelo espancador ocorreu em janeiro deste ano, quando uma garota de programa precisou pular do carro em movimento para escapar do agressor. De acordo com a vítima, de 25 anos, ela a abordou, por volta de 2h da madrugada, em um ponto de prostituição, na 704 Norte. Após combinarem o valor, a mulher entrou no automóvel, que seguiu em direção ao Paranoá, parando apenas em um matagal, próximo ao condomínio no Paranoá Parque.

No matagal, o criminosos foi agressivo e forçou a vítima a fazer sexo sem preservativo. Sob ameaças de morte, a mulher foi obrigada a fazer sexo oral, vaginal e anal. Depois do estupro, Veridiano fugiu, arrancando com o veículo. A garota criou coragem e saltou do veículo, machucando o rosto, braços e ombro. A vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para um hospital.

Segundo a delegada-chefe da 6ª DP (Paranoá), Jane Klébia, Veridiano é um homem violento e perigoso. “A ficha criminal dele é extensa. Já responde a crimes de injúria, lesão corporal, ameaça, estelionato, furto e roubo. Ao todo, ele está envolvido em 32 inquéritos e 27 termos circunstanciados. No entanto, nosso maior objetivo é divulgar esse caso para que novas vítimas procurem a polícia”, explicou.

Últimas notícias