PCDF prende autor de tentativa de latrocínio praticado em Águas Claras

Homem usava documentos falsos, foi flagrado com anabolizantes e chegou a se trancar no banheiro para tentar escapar da polícia

atualizado 26/03/2021 7:16

foragidoReprodução

Nessa quinta-feira (25/3), policiais da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires) deflagraram a Operação Deslizes e prenderam Fagner Luiz Campos Bitttencourt, 40 anos. Ele estava foragido da Justiça desde 2017 por tentativa de latrocínio.

O acusado mora na Colônia Agrícola 26 de Setembro. O criminoso era procurado há quatro anos, após ter transitada em julgado condenação por uma tentativa de latrocínio. O crime ocorreu em Águas Claras em 2012. À época dos fatos, o autor, acompanhado de um comparsa, subtraiu a arma de fogo de um homem na saída de uma boate e efetuou vários disparos contra a vítima.

Veja imagens da operação:

O  homem sobreviveu ao disparo. Após a investigação, realizada pela 21ª DP (Pistão Sul), os autores foram condenados criminalmente. Fagner Bitttencourt recebeu a sentença de sete anos de reclusão.

Prisão

Anos a condenação, o homem voltou a entrar na mira da polícia após uma denúncia anônima, que informava que ele traficava drogas em casa. Ao apurar o caso, policiais da 38ªDP constataram que o autor estava com o mandado de prisão em aberto e deflagraram a operação.

0

Para tentar evitar a prisão, o autor fingiu não estar em casa e não atendeu aos chamados dos policiais quando eles bateram à porta. Durante as buscas realizadas na residência, no entanto, os policiais civis o encontraram trancado em um banheiro.

Após a detenção, os investigadores localizaram anabolizantes, 14 munições de calibre 38, documentos falsos utilizados pelo investigado e dois celulares roubados.

Diante dos fatos, além de ter sido preso em razão do trânsito em julgado pelo crime praticado em 2012, o autor foi autuado em flagrante delito pelos crimes de posse de drogas para consumo pessoal, receptação e posse de munição. Somadas, as penas podem resultar em mais sete anos de prisão.

Ainda de acordo com a PCDF, o homem usava documentos falsos em nome de Silvano Freiras da Silva e Juciney Cardoso da Silva. “É importante para a investigação a divulgação da imagem e dos nomes utilizados pelo autor para que identifiquemos outras vítimas que ele possa ter prejudicado com a utilização dos seus nomes falsos”, ressaltou o delegado-chefe da 38ªDP, João de Ataliba Neto.

A operação foi batizada de “Deslizes” por ser o nome de uma música do cantor Fagner, xará do autor, tendo este sido preso por um pequeno deslize praticado.

Mais lidas
Últimas notícias