Uma demanda antiga da população começa a se tornar realidade. A construção da ciclovia de 25,7 quilômetros ao longo da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) está na fase de terraplanagem. As intervenções se iniciaram em 17 de maio e a previsão é de que a estrutura fique pronta no primeiro semestre de 2018.

A coordenadora da ONG Rodas da Paz, Renata Florentino, reconheceu a importância da obra: “Ela estava prometida desde 2007, passou por dois governos e não saiu do papel”.

De acordo com ela, entretanto, ainda restam dúvidas para saber se a ciclovia terá um trajeto contínuo, sem interrupções, e se o traçado no canteiro central não vai ficar prejudicado com a reforma do corredor de ônibus. “Essa é uma informação que não foi divulgada ainda. É uma obra necessária e a gente espera que ela seja feita com qualidade para atender a população”, completou.

Serão três faixas de ciclovia, nas marginais e no canteiro central da via. A obra foi orçada inicialmente em R$ 11.789.414,27, mas foi contratada pelo valor de R$ 8.213.684,92 em concorrência pelo menor preço.

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF), Henrique Luduvice, acredita que a construção de ciclovias é uma maneira eficiente de estimular o transporte não motorizado: “Queremos dar condições para que todos tenham seu espaço, com a garantia dos princípios da paz e da cidadania no trânsito.”

Sobre o trajeto contínuo da ciclovia, Luduvice destacou que no centro ou em uma das laterais de entrada para as regiões administrativas pode haver uma interrupção sempre próxima a uma passarela de pedestres, “de forma que o ciclista possa fazer a transição de um lado para o outro”. Segundo Luduvice, há determinados locais em que o espaço não permite que efetivamente haja a continuidade do trecho no mesmo lado.

Visita
O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) visitou a obra na manhã desta sexta-feira (9/6). “É uma obra histórica, que vai modernizar Brasília”, disse. O chefe do Executivo falou ainda que lançará, em breve, um plano cicloviário para fazer a ligação das ciclovias de todas as regiões administrativas: “Iniciamos, agora, com um tronco muito importante do DF, que é esta ligação entre o Plano Piloto e Taguatinga”.

De acordo com o GDF, a construção da ciclovia da EPTG faz parte de um conjunto de 12 obras em todo o DF para melhorar a mobilidade urbana na capital do país. O objetivo é dar maior fluidez ao trânsito, melhorar a qualidade do asfalto, proporcionar segurança na travessia de pedestres e aumentar a oferta para o tráfego de bicicletas.

Também integram esse pacote de intervenções o Trevo de Triagem Norte, a Ligação Torto-Colorado e a passarela Nova Colina (em Sobradinho). Além disso, serão construídas outras duas ciclovias, na DF-290 (entre o Gama e a BR-040) e no Lago Oeste. (Com informações da Agência Brasília)