No DF, 135 mil pessoas de 15 a 29 anos não estudam nem trabalham

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em estudo divulgado nessa quarta-feira

atualizado 08/11/2019 15:46

Pelo menos 135 mil pessoas do Distrito Federal, entre 15 e 29 anos, estão sem emprego e sem estudar, aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em estudo divulgado nessa quarta-feira (06/11/2019) com dados da Síntese de Indicadores Sociais (SIS). Levando-se em conta a pirâmide etária da região, o valor alcança 17.9% da população nesta faixa de idade.

Vinicius Melo, 22 anos, é apenas um exemplo dessa realidade. Fora da escola há 3 anos e sem renda fixa, o jovem ainda não sabe o que será do futuro. “Após a conclusão do ensino médio, não tinha em mente qual curso fazer”, explicou. Assim como Melo, Cássio Ribeiro, 22, também entra na categoria dos chamados nem-nem (nem trabalham nem estudam). “Tentei venda direta por algum tempo, mas larguei por não ter dado certo. E ainda não sei em que área quero ingressar”, falou.

A realidade do Brasil é ainda mais assustadora. São mais de 10,8 milhões de jovens que não estudam nem estão ocupados. Segundo o documento divulgado, em 2016, a proporção era de 21,8%. Aumentou para 23,0%, em 2017, percentual que se manteve em 2018. Esse patamar coloca o Brasil entre os piores colocados quando comparado com os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e outros que tiveram seus resultados divulgados pelo relatório Education at a glance 2019. A média para os países da organização foi 13,2% em 2018.

“Conjunturas econômicas desfavoráveis tendem a atingir com mais intensidade a ocupação dos jovens, que também leva maior tempo para se recuperar posteriormente. A falta de oportunidades de emprego para a juventude é um desafio que se coloca no nível internacional”, destaca o estudo.