Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

PCDF: montador de móveis foi executado e, depois, teve corpo queimado

Polícia Civil apura hipótese de homicídio, devido às condições de localização do cadáver. Cena do crime indica morte antes da carbonização

atualizado 28/09/2022 19:12

Corpo localizado no Riacho Fundo I Reprodução

José Fernandes do Nascimento, 47 anos, montador de móveis, teve o corpo carbonizado após ser executado em uma região de mata fechada do Riacho Fundo 1. A presença de larvas na cena do crime indicou decomposição do cadáver antes de atearem fogo nele, na tentativa de ocultá-lo, segundo as investigações. Porém, os laudos do Instituto de Criminalística da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) vão apontar a dinâmica do assassinato.

Delegado-chefe da 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo), Lúcio Valente comentou que a vítima tinha histórico de envolvimento com entorpecentes. A corporação apura a hipótese de homicídio, em virtude das condições de localização do cadáver.

A família da vítima relatou que José saiu de casa na última quinta-feira (22/9), por volta das 7h. Depois disso, não foi mais visto. Até o momento, não há informações sobre os autores do crime.

Testemunhas relataram que a fumaça na região onde foi encontrado o corpo chamou a atenção de moradores da quadra, que acionaram a polícia após verem um clarão na região. A causa da morte será determinada pela perícia da PCDF.

Mais lidas
Últimas notícias