Os bastidores da cobertura policial de um jeito que você nunca viu

Cadete da PM acusado de furtar picanha e vinho tem inquérito arquivado

O policial Claudeci Gomes Marinho foi levado para delegacia, em 8 de janeiro deste ano, acusado por funcionários de um mercado atacadista

atualizado 07/04/2022 9:30

Fachada do Prédio do MPDFTRicardo Botelho/Especial para o Metrópoles

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pediu o arquivamento do inquérito policial que apurava as circunstâncias de um suposto furto cometido por um cadete da Polícia Militar (PMDF). Claudeci Gomes Marinho foi levado para delegacia em 8 de janeiro deste ano, acusado por funcionários de um mercado atacadista de furtar produtos como peças de picanha, garrafas de vinho e outros produtos avaliados em R$ 1.054.

De acordo com a manifestação da 8ª Promotoria de Justiça Criminal de Taguatinga, em nova avaliação dos fatos, foi verificado que os indícios não são suficientes para dar início à ação penal, sobretudo porque os relatos e a conduta dos prepostos do mercado onde ocorreu o fato são contraditórios, segundo avaliação dos promotores.

Na manifestação do MP, foi constatado que testemunhas não quiseram comparecer à delegacia nem foram fornecidas imagens das câmeras de segurança. “Aliás, o preposto alegou que a empresa não teria interesse no prosseguimento do caso. Acima de tudo, não se constata o dolo do investigado, vez não haver provas a contradizer a alegação do investigado. Conforme ele narrou, tudo não teria passado de um equívoco”, apontou a promotoria.

O pedido de arquivamento foi enviado pela promotoria para a 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), onde o inquérito havia sido instaurado.

Mais lidas
Últimas notícias