Mulher vendia atestados médicos falsos no centro de Brasília

Polícia chegou até a suspeita após denúncia de empresário. Ela também foi flagrada com declarações de deficiência para o Passe Livre

Leonardo Arruda/MetrópolesLeonardo Arruda/Metrópoles

atualizado 27/01/2020 15:46

A 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte) prendeu, em flagrante, uma mulher de 45 anos acusada de vender atestados médicos falsos e declarações de deficiência para o Passe Livre na região do Conic, no centro de Brasília. A suspeita, cujo nome não foi divulgado, vai responder pelo crime de falsificação de documento público. A pena é de reclusão, de dois a seis anos, e multa.

A prisão ocorreu nessa sexta-feira (24/01/2020). De acordo com a delegacia, as investigações tiveram início a partir da denúncia de um empresário, que compareceu à unidade de polícia para informar que uma de suas funcionárias apresentou um atestado médico com suspeita de fraude.

Equipe da Seção de Investigação Geral identificou a suspeita de comercializar o atestado médico falso apresentado pela funcionária. Além disso, ela é suspeita de fornecer duas receitas de medicamento controlado — fenobarbital e carbamazepina — em nome do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Com a mulher, foram apreendidos receituários médicos de hospitais públicos diversos; formulários de atestados da Secretaria de Saúde do GDF, e de declaração de deficiência; um carimbo de médico; e R$ 242, em espécie.

“A autora confessou que as declarações de deficiência seriam utilizadas para a obtenção do Passe Livre e que o uso dos carimbos falsos impressos nos documentos também era negociado”, destacou o delegado da 9ª DP, Tiago de Carvalho.

Na delegacia, a autuada relatou ter na residência — localizada em Águas Lindas de Goiás— outros receituários, formulários de atestados e mais um carimbo falso. Em diligência no local, os policiais apreenderam todo o material ilícito.

A mulher foi recolhida à carceragem da PCDF, onde permanece à disposição da Justiça.

Últimas notícias