Motorista que atropelou policial civil aposentado no DF presta depoimento

Ele afirmou que fugiu do local do acidente por medo de voltar para a prisão, de onde é egresso e diz ter sofrido muitas agressões

atualizado 10/11/2020 7:38

Bicicleta destruídaMaterial cedido ao Metrópoles

A 35ª Delegacia de Polícia (Sobradinho II) ouviu nesta segunda-feira (9/11) Renato Ferreira da Silva, que atropelou o policial civil aposentado Givelson Carlos Batista da Cunha, de 54 anos, na manhã de domingo (8/11). A vítima ficou em estado grave e precisará fazer diversas cirurgias no rosto até se recuperar.

No dia do atropelamento, o motorista fugiu dos policiais militares que atenderam a ocorrência após eles requisitarem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor. Renato respondeu que não tinha o documento e fugiu pelo matagal à beira da estrada.

Egresso do sistema prisional, Renato afirmou aos investigadores da 35ª DP que fugiu por medo de voltar para ao sistema carcerário, onde teria sido vítima de muitas agressões por parte de outros internos. No entanto, assegura que aguardou até que Givelson Carlos fosse socorrido, o que impediu a prisão em flagrante do condutor.

Além disso, o motorista negou que estivesse bêbado ou em alta velocidade na hora do acidente.

O atropelamento

Segundo Renato, ele e o policial aposentado, que estava de bicicleta, vinham em direções opostas e se encontraram numa curva muito estreita. Os dois teriam tentado evitar o choque, mas viraram para o mesmo lado, fazendo que o ciclista acabasse atropelado na contramão da pista.

A polícia aguarda a conclusão do laudo da perícia realizada no local e ouvirá testemunhas para pormenorizar as circunstâncias do acidente e determinar a responsabilidade do condutor.

Inicialmente, ele pode responder pelos crimes de lesão corporal culposa de trânsito agravada pelo fato de não possuir CNH e pela evasão do local do acidente. Somadas, as penas podem alcançar de 5 anos de reclusão.

0

 

Últimas notícias