Mesmo após suicídios, comando fecha centro que trata PMs do DF alcoólatras e depressivos

O Caps fechou as portas em março de 2020 devido à pandemia. No entanto, fontes relatam que orientação é para que local não reabra mais

atualizado 25/01/2021 7:54

PMDFDaniel Ferreira/Metrópoles

O Centro de Atendimento Psicológico e Social (Caps) da Polícia Militar do DF corre o risco de ser fechado permanentemente. PMs denunciaram ao Metrópoles que o local, considerado essencial, foi fechado em março de 2020 devido à pandemia do novo coronavírus e a ameaça é de que os serviços não sejam retomados.

“Estamos com muito medo. É a total demonstração de descaso. Também somos humanos. Policiais militares também têm depressão e sofrem com alcoolismo e drogas. A categoria está doente, deprimida. Como e onde será feito o atendimento?”, questionou um dos denunciantes.

Segundo um funcionário do Caps, antes de março, eram 25 pessoas atendidas por dia no centro. Hoje, pelo menos três pessoas procuram o local diariamente. “Somente em 2021 dois policiais se suicidaram, mas isso ninguém fala. O atendimento é essencial. Não poderia fechar na pandemia”, ressaltou um dos denunciantes.

O Centro de Atendimento Psicológico e Social (Caps) presta atendimento em saúde mental para a corporação da PMDF. No site da corporação, o serviço consta como ativo e ainda é detalhado como auxílio 24 horas para os policiais militares e seus familiares.

No local, funcionava o Programa de Resgate à Autoestima e Valorização da Vida (Praev) e a Seção de Assistência Social, Programa de Recuperação e Apoio ao Dependente Químico (Pradeq). “Há um major já designado para encerrar todas as funções do Caps. Ele entrou há duas semanas para fechar o local”, relatou uma fonte ao Metrópoles.

“A clínica de Sobradinho, a RM não nos atende. No Caps, o atendimento é personalizado, há expertise para tratar as situações de alcoolismo, para atendimento mental, depressão, uso de drogas”, completou um dos integrantes da corporação.

O Caps fica no Setor de Áreas Isoladas Sul (Setor Policial Sul), Área Especial 4. Há uma clínica associada em Sobradinho, que também presta o atendimento social. No entanto, os profissionais alegam necessitar da assistência ofertada no local criado para esse fim. É no Caps, por exemplo, que seriam feitos os encaminhamentos para a rede credenciada (psicoterapia, ambulatório de psiquiatria e internações).

O Metrópoles entrou em contato com a PMDF por diversos canais, porém, não obteve resposta até a última atualização desta matéria. O espaço permanece aberto.

Curso

Embora a clínica de atendimento psicológico e psiquiátrico esteja fechada e com perspectiva de não reabrir, a PMDF manteve, em 2020, o curso de aperfeiçoamento.

Em novembro de 2020, alunos do 1º Curso de Aperfeiçoamento de Praças (CAP I) da PMDF denunciaram casos de infecção por Covid-19 durante as aulas presenciais.

De acordo com os relatos, em apenas um pelotão, seis policiais testaram positivo. Um deles, o terceiro-sargento Renato Pereira dos Santos, do 2º BPM, morreu em 20 de novembro em decorrência da doença.

Últimas notícias