Alunos denunciam infecção por Covid-19 em curso da PMDF. Um policial morreu

O terceiro-sargento Renato dos Santos, do 1º Curso de Aperfeiçoamento de Praças, faleceu nesta sexta-feira (20/11) com suspeita da doença

atualizado 20/11/2020 15:14

PM morto com suspeita de Covid-19Reprodução

Alunos do 1º Curso de Aperfeiçoamento de Praças (CAP I) da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) denunciam casos de infecção por Covid-19 durante as aulas presenciais. De acordo com os relatos, no início deste mês, em apenas um pelotão, seis policiais testaram positivo. Um deles, o terceiro-sargento Renato Pereira dos Santos, do 2º BPM, faleceu nesta sexta-feira (20/11), com suspeita da doença.

Segundo um dos alunos do CAP I, que pediu para não ser identificado, em um pelotão que contava com 26 policiais, 24 relataram estar com sintomas do novo coronavírus. No entanto, apenas seis apresentaram atestado com diagnóstico da doença.

“Infelizmente, o dito ‘resgate das tradições militares’ custou a vida do nosso amigo Renato Santos. Aos matriculados no CAP II, corram atrás para que seja somente virtual. Nossas famílias e nós mesmos corremos muitos riscos”, lamentou o aluno.

O curso começou em 16 de março e estava previsto para terminar em 2 de julho. Porém, devido à pandemia, as aulas foram adiadas e seguiram até este mês.

A conclusão do curso – nas etapas virtual e presencial – é uma das condições para a promoção do terceiro-sargento à graduação superior. No último dia 13, ocorreu a solenidade de encerramento do CAP I, no pátio de formatura da Diretoria de Especialização e Aperfeiçoamento (DEA), em Taguatinga Norte. Cerca de 240 alunos policiais militares participaram.

Veja, abaixo, imagens da cerimônia divulgadas pela corporação:
0
Outros cursos temem infecção

Uma aluna do CAP II, curso no qual as aulas presenciais ainda vão começar, relatou ao Metrópoles que, agora, as turmas lutam para que todas as aulas possam ser ministradas a distância enquanto durar a pandemia.

“Várias comissões foram pedir que seja totalmente EaD, só que o comando bate o pé e não quer liberar. É um curso que tem partes de muito contato físico, como as aulas de defesa pessoal. Você fica das 6h às 18h numa sala com mais 25 pessoas”, conta a policial, que pediu para não ser identificada.

Conforme o edital do curso, o CAP II teve início com aulas a distância em 20 de julho e seguiu até 23 de agosto. A etapa presencial não começou, mas deixa alunos apreensivos com uma possível infecção pela Covid-19.

“Às vezes, a pessoa pega Covid e pensa que, se der o atestado, vai ser desligada do curso. Então, é difícil”, afirma. “A fase presencial está prevista para fevereiro, mas são matérias que podem ser feitas posteriormente. Por que o Comando-Geral daqui não quer que seja EaD, se outros estados estão adotando esse modelo sem problemas?”, questiona.

Por meio de nota, publicada no site da Polícia Militar do DF, a corporação confirmou a morte do sargento, lotado no 2º BPM. Porém, procurado pelo Metrópoles, o comando da PMDF não havia comentado sobre a obrigatoriedade de presença física no curso acima citado até a última atualização desta reportagem. O espaço segue aberto.

Leia a nota divulgada na página da PM na internet:

É com pesar que a Polícia Militar do Distrito Federal informa o falecimento do 3º Sgt Renato Pereira dos Santos, de 48 anos, matrícula 73.308/3, lotado no 2º BPM. O policial estava internado há 17 dias, mas faleceu na manhã desta sexta-feira (20), no Hospital Maria Auxiliadora e deixou uma filha.

Informações sobre o sepultamento serão publicadas posteriormente.

Que o bom Deus conforte os familiares e amigos!

Últimas notícias