Mais uma professora do Distrito Federal morre de Covid-19

Jeane Rodrigues Dantas, 45 anos, atuou como docente nos cursos da área de negócios na Faculdade Ceilândia, do Grupo Projeção

atualizado 16/04/2021 15:33

Professora do UniProjeção CeilândiaFacebook/Reprodução

Morreu na terça-feira (13/4) mais uma professora da rede particular de ensino no Distrito Federal em decorrência da Covid-19. Jeane Rodrigues Dantas, 45 anos, atuou como docente nos cursos da área de negócios na Faculdade Ceilândia, do Grupo Projeção.

Segundo o reitor do grupo, professor José Sergio, a professora ministrou aulas até dezembro de 2019, quando deixou de fazer parte do corpo docente, mas o carinho por ela permaneceu entre colegas de trabalho e alunos.

“Reforçamos que as aulas em todas as unidades do Centro Universitário Projeção estão sendo realizadas de forma remota desde março de 2020 e não tiveram nenhuma alteração”, completa o reitor.

Uma nota de pesar foi publicada nas redes sociais da faculdade. “Ficam como legado e lembrança o sorriso largo, a risada espontânea e o jeito elegante nas conversas com professores e estudantes”, disse a instituição, na publicação. “Reforçamos o pedido para que todos mantenham seus cuidados em relação à pandemia”, completa o texto.

Confira: 

 

Morte de professores

Segundo o Sindicato de Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF), na semana passada, cinco docentes de unidades particulares de ensino foram mortos pelo novo coronavírus. Os nomes não foram divulgados. “A situação está ficando muito perigosa. Estamos acompanhando o caso de mais três professores que estão em estado grave”, alertou o diretor do Sinproep, Rodrigo de Paula.

Na segunda-feira (12/4), morreu em decorrência da doença o professor Tiago Ferreira Lima Sobreira Rolim, que lecionava ensino religioso nos colégios Marista João Paulo II (Asa Norte) e Jesus, Maria, José (Taguatinga).

Seguindo protocolos sanitários contra a Covid-19, as escolas particulares oferecem aulas presenciais, remotas e híbridas, conforme os respectivos projetos pedagógicos e a vontade dos pais e mães de alunos. Do ponto de vista do representante do Sinproep-DF, no entanto, o número crescente de óbitos acendeu a luz de alerta. De acordo com a entidade sindical, os professores precisam da vacinação contra a Covid-19 para continuar em sala de aula.

O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do DF (Sinepe-DF) também se manifestou em solidariedade às vítimas e pessoas que perderam seus entes queridos para a Covid-19.

“Temos acompanhado os casos na sociedade, não só com os colaboradores da rede privada, mas suas famílias, alunos e demais setores. É um momento delicado e de muita dor. A vida é valiosa para todos e, por isso, deveremos nos prevenir”, diz Ana Elisa Dumont, presidente do Sinepe-DF. Ela ressalta que seguir os protocolos de segurança – dentro e fora das escolas – é uma responsabilidade coletiva.

Assista: 

Últimas notícias