Lutador de jiu-jítsu que invadiu serpentário do Zoo é liberado pela Justiça

Audiência de custódia aconteceu na manhã desta quarta-feira. Atleta fingiu que era funcionário do GDF

atualizado 20/01/2021 22:52

cobraHugo Barreto/Metrópoles

A Justiça do Distrito Federal concedeu liberdade provisória ao lutador de jiu-jítsu Luiz Gustavo Jabour Tannuri de Almeida, 44 anos, preso em flagrante nessa terça-feira (19/01). A audiência de custódia aconteceu na manhã desta quarta-feira (20/1).

O atleta, na companhia de outro lutador, o canadense Brian Beauchamp, tentou subornar um vigilante do Jardim Zoológico de Brasília e se apresentar como servidor do Governo do Distrito Federal.

 

0
O caso

Segundo relatos de funcionários do Zoológico, Luiz Gustavo e o canadense visitou o Zoológico de Brasília nessa terça, quando o local estava fechado para visitação.

Ele chegou a oferecer dinheiro aos vigilantes para entrar no local, o que não deu certo. Horas depois, a responsável pelo Jardim Zoológico recebeu uma mensagem em seu WhatsApp particular, onde a pessoa se identificou como Luiz Tannuri, Diretor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

No texto, o homem solicitava acesso ao Zoo e a permanência de uma hora no recinto. A mensagem também informava que o suposto servidor estava com alguns investidores estrangeiros, do Canadá.

Acompanhados de funcionários do Zoológico, Luiz Tannuri e Brian pediram para visitar o serpentário e entraram em área restrita e dos répteis.

A chefe da Superintendência de Conservação e Pesquisa desconfiou do comportamento dos visitantes e questionou sobre outros funcionários da Secretaria de Desenvolvimento. Tannuri teria desconversado.

Ressabiados, os funcionários ligaram para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF e constataram que o servidor de nome Luiz Tannuri não fazia parte do quadro de funcionários do órgão.

Últimas notícias