Justiça do DF condena homem que matou cachorrinha da namorada

Em decisão unânime, desembargadores do TJDFT revertem absolvição da 1ª instância de Danilo Leal de Araújo, servidor da Secretaria de Saúde

atualizado 01/10/2020 9:46

cachorra divaImagem cedida ao Metrópoles

O Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT) condenou o servidor da Secretaria de Saúde (SES) que espancou e matou a cadelinha Diva, uma yorkshire que pertencia a, até então, sua namorada. Danilo Leal de Araújo terá de cumprir 6 meses de detenção e pagar R$ 7,25 mil em danos morais e materiais. Ele havia sido absolvido em primeira instância, mas o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) recorreu da decisão.

Veja as imagens do crime:

O caso foi analisado por três desembargadores da Corte. Relatora da apelação, a desembargadora Nilsoni de Freitas Custódio avaliou que o acusado agiu com “especial crueldade em sua conduta, a merecer maior reprovação”, e que os motivos do crime são “repugnantes”. Além disso, a magistrada ressaltou, como ficou comprovado no laudo de necrópsia, que Diva foi chutada, pisada, espancada e arremessada contra a parede diversas vezes.

Ana Paula Vasconcelos, advogada de acusação, comemorou a decisão. “Esse condenação é uma vitória no combate ao crime de maus-tratos a animais e também no combate à violência doméstica, e só vem comprovar a Teoria do Link, que retrata a ligação entre a violência contra pessoas e maus-tratos a animais. Principalmente com aqueles humanos em situação de vulnerabilidade”, afirmou.

O Metrópoles tentou contato com os advogados de defesa da Danilo, mas não obteve retorno. Esse canal permanece aberto para manifestações.

Últimas notícias