Homem que matou assaltante em posto se apresenta à polícia

O autor dos disparos, Carlos Aberto de Sousa, seria caçador e estaria de passagem no local quando foi surpreendido, segundo advogado

atualizado 14/10/2019 15:32

Reprodução/Vídeo

O homem que reagiu a um assalto em posto de gasolina e matou um dos ladrões se apresentou à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) nesta segunda-feira (14/10/2019). Carlos Alberto de Sousa, 54 anos, disse ser caçador profissional e que estaria viajando para Luziânia com intuito de caçar javaporcos (cruzamento do javali selvagem com porco doméstico). Foi quando parou para abastecer e acabou surpreendido pelos criminosos.

Ao Metrópoles, o advogado Adilson Valentim disse que Carlos esteve na 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) para dar sua versão dos fatos. “Ele deixou bem claro o que realmente ocorreu. Apresentou a arma, a licença para portá-la, as munições e todas as documentações necessárias. O delegado não vai indiciá-lo”, argumentou o defensor.

Procurada, a PCDF não havia confirmado se o homem será ou não indiciado até a última atualização desta reportagem.

O episódio ocorreu na madrugada da última sexta (11/10/2019). Conforme Valentim, quando Carlos chegou ao posto, um outro veículo estava sendo abastecido. Enquanto aguardava, ele resolveu sentar e comer um lanche. “Foi aí que percebeu a chegada de um carro com várias pessoas. Ele não reagiu de primeira: pediram o celular, e ele entregou”, relata.

Pistola

Durante o assalto, no entanto, o suposto caçador acreditou que os ladrões teriam visto a pistola .380 que ele portava. “Se vissem a arma, eles o matariam. Nesse momento, houve a reação. O (suspeito) que morreu tomou um tiro no rosto, e outros dois ainda foram atingidos”, conta.

Segundo o advogado, a arma possui licença para ser usada. “O delegado ainda quer ouvir a versão do meu cliente. A partir disso, será instaurado inquérito, e vamos esperar a posição do Ministério Público. Caso haja denúncia, vamos sustentar a tese de legítima defesa”, explica Valentim.

Veja o momento do assalto:

Além do adolescente morto na ação, dois suspeitos baleados chegaram ao Hospital Regional da Ceilândia (HRC), deixados por comparsas, que ainda não foram localizados. Eles abandonaram o Prisma e roubaram outro carro atrás da Feira dos Goianos. Segundo informações de funcionários do posto, a região onde ocorreu o assalto é muito perigosa.

0
Desdobramento

Ainda na manhã da sexta-feira (11/10/2019), houve um desdobramento do caso, após policiais do 8º Batalhão de Polícia Militar (Ceilândia) receberem denúncia de roubo a uma EcoSport marrom às 8h22. O veículo estava abandonado em frente a uma casa na QNM 24, onde suspeitos se encontravam.

“Quando chegamos, visualizamos uma garota entregando droga para um rapaz no local, por volta de 8h30. Ela foi identificada como irmã do suspeito morto no posto, durante o assalto da madrugada”, explicou o soldado Thiago Leite.

No local, os policiais apreenderam a jovem, de 17 anos, e um rapaz que também é irmão do adolescente morto no assalto ao posto, além de outro homem. Uma arma calibre .12 estava em poder do grupo.

PMDF/Divulgação
Prisma usado por adolescentes em assalto foi localizado na QNM 38 de Taguatinga Norte

Últimas notícias