*
 

A Justiça concedeu medida protetiva para a recepcionista que foi brutalmente espancada pelo ex no Hotel Hum, ou antigo Hotel Canadá, em Taguatinga. A informação é do delegado Josué Ribeiro, da 12ª DP (Taguatinga Centro). “A orientação dada à vítima é que se esconda em endereços desconhecidos pelo agressor, por enquanto”, explicou o policial.

Segundo Josué Ribeiro, o homem sempre teve um temperamento explosivo. Existem, inclusive, outras duas ocorrências anteriores contra ele, relacionadas à violência doméstica e registradas por mulheres diferentes. “Em uma das vezes, a vítima desistiu de levar o caso adiante. Já o outro caso segue na Justiça”, destacou o policial.

De acordo com uma pessoa conhecida da recepcionista do hotel, a mulher ainda está apavorada, principalmente pelo fato de o homem estar solto. Ela deve permanecer escondida por familiares.

 

Uma pessoa próxima à mulher, que preferiu não ser identificada, contou ao Metrópoles que, após as agressões, na quinta-feira (29/11), o homem roubou o celular da ex-companheira e distribuiu fotos íntimas dela em grupos de WhatsApp.

A vítima e o agressor estavam separados há três meses. Eles ficaram juntos cerca de três anos. “Ela nunca contou detalhes do relacionamento, só que ele não queria que ela trabalhasse de jeito nenhum e que ele não podia saber onde ela estava”, contou a pessoa próxima à mulher.

Na tarde de quinta, o agressor esteve no hotel perguntando pela ex-mulher, que não estava no local. “Voltou à noite, mas não o reconheci porque estava de boné e uma jaqueta. Ela ficou muito assustada com a presença dele ali”, destacou uma testemunha. Segundo ela, o homem simulou estar armado.

Depois de uma sessão de socos e pontapés, a vítima ficou com o rosto deformado. Ela  foi socorrida e encaminhada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), depois seguiu para exames no Instituto Médico Legal (IML).