Helicóptero do Corpo de Bombeiros que caiu no DF tinha 12 anos de uso

Aeronave estava em operação desde 2008, mas, segundo militares, ela teria revisões "rigorosamente em dia. Aeronáutica investigará acidente

Queda de helicóptero dos bombeiros em Vicente PiresRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 30/07/2020 21:37

O helicóptero do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) que caiu em Vicente Pires na manhã desta quinta-feira (30/07) é um modelo Esquilo AS350B2, fabricado em 2007 e em uso havia 12 anos. Ele entrou em operação em 2008. Apesar da idade, bombeiros informaram ao Metrópoles que a aeronave estava com as “revisões rigorosamente em dia”.

De acordo com as fontes ouvidas pela reportagem, o determinante para a aeronave seguir em operação não é a idade, mas sim a manutenção regular. “Você pode ter um avião da Segunda Guerra Mundial que ele pode estar perfeito. O que importa são as revisões”, exemplificou um piloto.

Em nota oficial divulgada nesta noite, o CBMDF reforçou que o helicóptero estava “com todas as revisões em dia, conforme determinam os órgãos de regulação.”

Cinco pessoas estavam na aeronave no momento do acidente. Os ocupantes eram o tenente-coronel Moisés Alves Barcelos (piloto), o major Vinicius Santos Silva, o 2° Sargento Agni de Souza Lacerda, o médico André Japiaçú e a enfermeira do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Vanessa Rocha.

Conforme os militares ouvidos pelo Metrópoles, o tenente-coronel Barcelos, comandante e piloto do helicóptero, é um profissional “experiente”. Contudo, ao tentar pousar, ficou com a visão embaçada pela poeira no estacionamento. A aeronave acabou batendo no antigo prédio da Faculdade Mauá e caindo, em seguida. No momento da queda, estava já perto do solo.

De acordo com a corporação, todos os ocupantes foram encaminhados para um hospital para avaliação médica. “Mas ninguém se machucou gravemente, só o médico que sofreu um corte”, informou o coronel Carlos Barcelos, comandante operacional do Corpo de Bombeiros. O profissional de saúde teve ferimentos leves e foi conduzido ao hospital HOME, na Asa Sul.

Na nota divulgada, o Corpo de Bombeiros acrescentou que “todos os integrantes da aeronave envolvida em acidente na manhã de hoje já passaram por exames e, felizmente, foram liberados pela equipe médica. O CBMDF também providenciou equipe de psicólogos e psiquiatras para prestar assistência aos militares.”

Veja imagens do acidente: 

0

 

Um bombeiro amigo da tripulação, que pediu para não ser identificado, contou ter conversado com os colegas que estavam no helicóptero e todos garantiram estar bem. “Estamos mais felizes do que tristes, porque a perda foi só material”, afirmou o militar.

“Eu moro por aqui e, quando mandaram a informação no grupo do serviço, já corri para ver se estavam todos bem”, completou.

O acidente

Em nota divulgada ainda pela manhã, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) informou que a aeronave Resgate 02, matrícula PR-MJX, deslocou-se às 10h16 para atendimento de vítima de parada cardiorrespiratória (PCR) em Vicente Pires, próximo à Faculdade Mauá, com apoio terrestre da viatura ASE 155, de Águas Claras. A corporação não soube informar, porém, o estado de saúde da vítima, que chegou a ser atendida por uma ambulância.

“Os exames periciais preliminares foram realizados ainda no local do acidente, sob responsabilidade do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão que conduzirá o processo investigativo para elucidação das circunstâncias e possíveis causas do acidente”, acrescentou a corporação no texto distribuído à noite.

Após a perícia inicial, a carcaça da aeronave foi deixada no Batalhão do Corpo de Bombeiros em Águas Claras.

Veja fotos: 

0

Últimas notícias