GDF e Fecomércio discutem estratégias para reabertura de lojas

Com a previsão de que as lojas voltem a abrir em 3 de maio, protocolos como uso de máscaras e álcool em gel serão obrigatórios

atualizado 16/04/2020 18:35

Lojas fechadas no DFHugo Barreto/Metrópoles

Após a confirmação do governador Ibaneis Rocha (MDB) de que as lojas no Distrito Federal irão reabrir as portas em 3 de maio, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) e o GDF elaboram instruções para que o protocolo do Ministério da Saúde seja seguido.

A fim de conter uma disseminação ainda maior do novo coronavírus na capital, as orientações a serem seguidas pelos lojistas ficarão prontas na próxima segunda-feira (20/04).

Contudo já se sabe que entre as medidas a serem adotadas por todos os estabelecimentos que abrirem as portas estão o uso de máscara pelos funcionários e álcool em gel, além da obrigatoriedade do distanciamento entre os consumidores.

O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, avalia como positiva a decisão de abrir as lojas com restrições e a cautela necessária. A elaboração do documento também será feita em conjunto com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e o Sebrae-DF.

“No setor de beleza, por exemplo, o sindicato do segmento já sugeriu que os atendimentos fossem realizados apenas com agendamento, para evitar aglomerações nos espaços. Acredito que seja melhor ter esse retorno mais cauteloso e orientado do que o comércio continuar fechado, gerando prejuízos e aumentando o número de desempregados na cidade, que já é alto”, destacou Maia.

Videochamada

Francisco Maia se reuniu com o governador Ibaneis Rocha (MDB) e secretários de governo, por aplicativo de videochamada on-line, nesta quinta-feira (16/04), para tratar da reabertura das lojas. Durante a conversa, o GDF reafirmou que, se o número de infectados pela Covid-19 não se alastrar muito nos próximos dias e as condições sanitárias não piorarem, o comércio será reaberto no dia 3 de maio.

Durante a conversa, o governador destacou que haverá fiscalização rígida, para que os empresários tenham consciência sobre as normas de saúde a serem seguidas.

“Se não seguirem as regras, o comércio será fechado. Por isso, estamos trabalhando no sentido de orientar os empreendedores. Vamos ainda lançar uma campanha publicitária para informar e dar maior segurança para o trabalho do comércio”, disse Maia.

Últimas notícias