GDF diz ter vacinado 100% dos professores da rede pública

Aulas presenciais voltam dia 2 de agosto. Sindicato afirma que trabalhadores vacinados não são garantia de retorno com segurança

atualizado 12/07/2021 12:48

Vacinação Parque da CidadeArthur Menescal/Especial Metrópoles

A vacinação dos profissionais da rede pública de ensino terminou neste domingo (11/7). No total, desde 21 de maio, foram vacinados 56 mil profissionais, inclusive auxiliares, merendeiras, vigilantes, técnicos e grupos gestores do Distrito Federal.

Segundo a Secretaria de Educação, o plano é permitir a retomada das aulas presencias em 2 de agosto. Nas últimas semanas, o DF intensificou a campanha com a aplicação da vacina da Janssen, de dose única.

Incluindo ensino superior e básico, das redes pública e privada, o Distrito Federal tem 80 mil profissionais. As datas de vacinação para os demais profissionais da rede privada, do ensino superior e dos cursos livres serão divulgadas nos próximos dias.

0

De acordo com a diretora do Sindicato do Professores (Sinpro-DF), Rosilene Corrêa, não basta os professores estarem vacinados para retomada das aulas, é preciso que a Secretaria crie uma campanha educativa para alunos e professores. “Podemos dizer que a Secretaria oportunizou a vacina para 100% dos trabalhadores, mas afirmar que todos estão vacinados é um certo otimismo. Temos conhecimento que nem todos tomaram a vacina por diversos motivos”, afirmou.

“Além disso, o fato de ter vários trabalhadores vacinados não é garantia de retorno com segurança. Entendemos que a vacina é indispensável para o primeiro passo, mas agora a Secretaria precisa tomar outras providências junto com as escolas”, disse a diretora.

O sindicato fará uma assembleia dia 30 de julho para avaliar as condições gerais de possível retorno em agosto.

Nesse domingo, a Secretaria de Saúde do DF disse que o governo vai antecipar a aplicação da segunda dose de vacina para pessoas com a D2 marcada para agosto. No caso, serão imunizados pessoas que tenham recebido a AstraZeneca e a Pfizer.

Um dos casos que podem ser contemplados é o dos 6 mil professores que tomaram a primeira dose da AstraZeneca em maio. Assim, os docentes e profissionais da área já retornariam com o ciclo concluído.

Últimas notícias