Família de motorista de app morto faz vaquinha para aniversário de filho

A vítima havia começado a trabalhar no sistema de transporte por aplicativo para pagar festa e presente do caçula, Isaac, que fará 5 anos

atualizado 04/12/2020 15:09

Material cedido ao Metrópoles

Após a morte do motorista de aplicativo Roosevelt Albuquerque da Silva, 31 anos, assassinado enquanto trabalhava, a família busca um alento para aliviar parte do sofrimento. Roosevelt deixou dois filhos, de 7 e 4 anos. O aniversário do caçula será na próxima-feira (8/12), e os parentes não querem deixar a data passar em branco, apesar da ausência do pai do garoto. A festa ocorrerá em 13/12, um domingo.

Roosevelt havia conseguido entrado para o sistema de transporte aplicativo com o objetivo de conseguir organizar uma festa para o garoto. Para ajudar nos custos, a família lançou uma campanha de arrecadação para o aniversário. Quem desejar pode contribuir com qualquer valor, transferindo o dinheiro para a seguinte conta bancária:

Caixa Econômica Federal (conta-poupança)

RANYELLE ALBUQUERQUE DA SILVA

Agência: 0863

Conta destino: 00003779-0

CPF: 083.565.934-84

“O tema vai ser Hulk, conforme o Isaac (o caçula) havia pedido. A festinha era algo que o meu irmão queria muito”, conta a irmã da vítima, Renyelle Albuquerque, 32 anos. “Ele tinha conseguido um emprego para conseguir dar o tênis de rodinha que o filho pediu”, diz.

Renyelle ressalta que o momento é muito difícil. “Destruíram a minha família. O meu pai está abalado e calado. A minha mãe, em choque, não reconhece ninguém. Ninguém come, ninguém bebe água”, detalha.

0
“Paizão”

Roosevelt foi vítima de latrocínio (roubo com morte) depois de aceitar uma corrida na área central de Brasília. Duas pessoas foram detidas: Whallyson Maicon Lima, 22 anos, e um adolescente. O motorista foi velado nessa quinta-feira (3/12) sob forte clima de comoção.

Amigos e familiares o descreveram como uma pessoa honesta e muito dedicada à família. “Ele era um paizão, sempre muito presente na vida dos filhos”, destaca a mulher dele, Juliana Simplício Rodrigues, 35. “Os meninos estão traumatizados”, lamenta.

Ela contou que soube da morte do pai das crianças e começou a chorar escondido. Um dos filhos do casal aproximou-se e pegou uma arma de brinquedo. “Ele escondeu debaixo do travesseiro e, então, disse: ‘Mamãe, ninguém vai matar você’. Não esperei que ele fosse ter esse discernimento”, disse. O casal jovem sonhava em comprar uma casa.

“Espero que ninguém nunca tenha essa dor. O meu filho era tudo que eu tinha. A gente espera que o filho perca o pai, e não que o pai perca o filho. A dor é tremenda”, disse Roosevelt Corrente, pai da vítima.

A família convida a todos que quiserem compartilhar deste momento. A festa de aniversário do menino será aberta ao público, no domingo (13/12), às 16h. O endereço é no Condomínio Jardim Botânico V.

Últimas notícias