Estudantes dão “abraço coletivo” contra corte de verbas no IFB

Como o Metrópoles mostrou, após bloqueio de R$ 10,8 milhões, o Instituto Federal de Brasília suspendeu novos editais de pesquisa

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 14/05/2019 20:38

A tesourada na verba do Instituto Federal de Brasília (IFB) fez com que estudantes promovessem uma manifestação na tarde desta terça-feira (14/05/2019). Virados para a L2 Norte, eles protestaram aos gritos de “Tira a mão do meu IF”. Chegaram a interditar a via por alguns minutos, mas depois liberaram o trânsito. Após isso, deram um abraço coletivo na unidade da Asa Norte.

O reitor do IFB, Wilson Conciani, agradeceu a presença dos manifestantes e defendeu a recomposição das verbas cortadas. “Contamos com vocês para que essa situação se reverta e que o instituto possa ser aquilo que a população espera, formando profissionais para nosso país”, destacou.

Entre os estudantes, o clima é de apreensão. Vanessa Santos, 18 anos, é aluna de letras português no campus do IFB em Sobradinho e foi até a unidade de Brasília para participar do ato. “Acho importante lutar por isso. Estou esperançosa, mas com medo.” Vanessa contou que tem colegas bolsistas que estão sem saber o que fazer. “Essas pesquisas trazem bastante resultado para a gente”, ressaltou.

Para o estudante Widson Lyncon, 26, o corte também colocará alunos de baixa renda em uma situação difícil. “Afeta muitos estudantes carentes”, destacou o jovem, que estuda tecnologia em eventos na instituição.

Segundo a aluna Letícia Pinheiro, 30, a notícia do contingenciamento provocou uma mobilização diferente no IFB. “O instituto não era tão articulado. Essa manifestação dos alunos mostra que a gente não está compactuando com essa conduta do ministro da Educação. Acreditamos que cortes não são a solução”, conta a moça, que também estuda tecnologia em eventos.

Como o Metrópoles mostrou nesta terça-feira (14/05/2019), após identificar bloqueio de R$ 10,8 milhões, o Instituto Federal de Brasília suspendeu novos editais de pesquisa aplicada que contribuiriam com desenvolvimento da economia local, bolsas de iniciação científica para o segundo semestre e a participação dos alunos em visitas técnicas e eventos. O valor do contingenciamento corresponde a 36,5% do orçamento previsto para 2019.

Segundo o IFB, a redução nos valores previstos para despesas “inviabiliza o funcionamento” nos próximos meses. Além disso, acrescenta, vai “resultar no cancelamento de ações programadas, especialmente nas áreas de pesquisa, inovação e extensão, comprometendo por consequência a qualidade de ensino”. Com 10 campi, o instituto tem 20 mil estudantes em 48 cursos técnicos, 25 superiores, quatro pós-graduações, mais de 50 cursos de formação inicial e continuada, além de 78 grupos de pesquisa.

O ato também contou com a presença de alunos de outras instituições de ensino, como a Universidade de Brasília (UnB), e de parlamentares, como Erika Kokay (PT), Fábio Felix (PSol), Chico Vigilante (PT), Arlete Sampaio (PT), Reginaldo Lopes (PT) e Airton Luiz Faleiro (PT- PA).

Últimas notícias